"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





sexta-feira, 26 de março de 2010

COMO DIRIA CAZUZA

Ouço palavras de som forte e na minha cabeça vêm frases feitas, mas não pré-estabelecidas, elas simplesmente foram imaginadas por mim mesma no meu inconsciente. Eu não pedi para escutar o que não quero, mas elas fluem, vomitando significados que não significam nada para os meus olhos. Eu não consigo suportar a dor de escutá-las e ser indiferente e, por isso, livro-me delas no papel. Coitado, pois não fez nada para merecer tantos desabafos rabiscados, tantos arrependimentos, dores ou sorrisos. Mas se eu não usá-lo, os sons ficarão presos na minha memória, atormentando meus sonhos e ilusões... Escrever não dói.

2 comentários:

Daniella disse...

escrever não dói nada, escrever muitas vezes ameniza a dor e cura... pelo menos comigo é assim!
adorei o texto e o novo blog, beijiinhos Danii

Bruna disse...

concordo com a daniii, escrever alivia a dor, com certeza !
adoro cada coisa que voce escreve amor
beijocaasss