"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





terça-feira, 7 de dezembro de 2010

there is no reason to stop writing

Faz tempo que eu não escrevo constantemente...
Acho que todos estão assim, não devo ser a única. Provavelmente, veio uma onda de não-inspiração em todos os jovens poetas que conheci esse ano... quem sabe.
Mas depois vi que o problema maior era comigo, pois nenhum blog andava tão vazio quanto o meu... talvez uns 2 ou 3.
Pesquisei, então, o problema real da minha ausência por aqui...
Falta de tempo? Dia de semana vivia em prova, final de semana vivia com meu namorado... Mas isso não é desculpa, TODO MUNDO tem tempo pra escrever, escrever não tem hora marcada...
Depois, percebi que poderia ser a situação monótona que minha vida se encontra, é, talvez.
Cair na rotina significa se acostumar com um prazer ou desprazer constante a cada dia, sem surpresas, ou seja: sem derrotas ou vitórias, apenas jogos.
Eu cai na rotina: namorando há 7 meses, estudando, fazendo trabalhos, ganhando as mesmas notas, fazendo aulas na autoescola, cursos de design gráfico, almoços em familia...
Minhas semanas não passavam disso, é, talvez eu realmente estivesse com poucos motivos pra escrever (mas se não tem motivo, a gente arranja, nem que fale sobre "não estar escrevendo").
Mas isso aconteceu até semana passada, eu sai da rotina...
Entrei de férias, ganhei notas boas, passei na auto-escola, consegui um novo estágio, minha família tá chegando dos EUA, to fechando meu intercâmbio do ano que vem, terminei meu namoro, reatei meu namoro, tive queimadura do 1º grau, descasquei, arrumei meu quarto, dormi direito...
Não sei como tantas coisas podem acontecer em uma semana, mas sei que elas podem sim mudar meu humor - e pra melhor.
Então, percebi que rotina também não é mais motivo pra eu deixar de escrever.
Percebi que nenhum poeta tem razão pra deixar de escrever. Até a rotina é motivo - só falar de quanto sua vida tá chata.
Minha vida nunca foi chata, eu só esquecia de falar alguma coisa sobre ela...


(:

sábado, 4 de dezembro de 2010

a maravilha em chamas...

O arco-íris já não ilumina mais os caminhos...
E eu só ouço bombardeios de escuridão:
por si só, ela cala os risos,
intensifica o choro,
e glorifica o ódio.

Pra que o Sol?
Se os óculos da violência tampam e escondem todas as esperanças?
A guerra é egoísta e cruel,
mas eu nunca a vi com os meus próprios olhos,

essa é a primeira vez.

domingo, 7 de novembro de 2010

Descobri
além dos sete mares
que meu amor
além dos meus pesares
não me amava

Desiludi
pensando que era fácil
que meu amor
pensava no passado
que nunca existiu

Descobri
que a minha vida
tão querida
não passava de uma farsa
que eu mesma criei


E agora,
na floresta das mentiras
cobertas por flores mal vestidas
e pétalas coloridas
no meu sonho de margarida
o meu mundo estremeceu

eu não tenho mais você
porque eu era sua metade
e eu mesma me perdi
numa terra mal escrita
por poetas tão hipócritas
que fingem amar
pra ser amado
em retorno.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

o paradoxo que eu não esqueci

teu silencio de repente calou meu grito
e teus passos atravessaram meus sorrisos
totalmente sem sentido
conturbando meus pensamentos já conturbados

e tua indiferença transpareceu meu desespero
tuas mentiras consolidaram minhas lágrimas
teu pezar justificou minha ida
embora
sem volta

e o tempo apagou nossas memorias
as memorias que se apagaram da minha mente
alguma coisa que foi apagada da minha mente
que eu nao me lembro mais

com o tempo, foi você tambem
com muitas razões e poucos porques
com poucas explicações e muitos motivos
cristalizando no nosso livro o paradoxo eterno

eu te odeio.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

nao me peça explicação

enquanto minha cabeça lateja
minha perna estremeja
eu invento besteira
pra ficar do teu lado

mas a dor nao cessa
e eu tenho pressa
de escrever isso
pra calar a tua boca
da dor que não cessa
por eu ter tanta pressa
de estar com voce

e eu invento palavra
pra explicar o desprezo
pra fazer o desejo
satisfazer

e eu invento desculpas
pra cessar essa dor
que não cessa o amor
que corrói o meu peito
que me falta calor
que me falta voce

e eu invento um meu eu
que não é mais meu
muito menos mais seu
um eu que no breu
estremeceu
e parou de existir


sumi.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

nothing last forever but be honest babe, we can break everything

Pernas e poses e apelos se confudem novamente.
Mas agora, somos nós dois, só nós dois.
Nem a solidão vem nos acompanhar,
nem a raiva,
nem a comodidade,
nem a rotina.

Agora, somos só nós dois,
em formato de poesia,
fugindo do clichê,
debaixo do cobertor.
Somos só nós dois,
eu olhando
você olhando
meu sorriso
por saber
que você está olhando
(e fico sem graça).

Agora, somos nós dois,
sem o medo,
sem a ilusão,
somente o destino
a minha linha do tempo
onde os acontecimentos são pedaços do nosso amor
onde os fatos só se concretizam diante da nossa magia
a magia que não acabou.

Agora, somos nós dois,
na eternidade
na sinceridade
na verdade que faltou
de te dizer
todos os dias
a cada segundo

que te amo.
(mais do que tudo nesse mundo)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

nothing last forever but be honest babe, it hurts but it may be the only way...

pernas e poses e apelos se confudem... vírgulas, pontos finais e retincencias se afundam... e meu pé não toca mais o chão, e minha mão não toca mais seu não, nem seu sim, nem seus nadas... seus beijos se eternizam na escuridão, e minha solidão se aprofunda na imensidão... minha dor se cristaliza no seu peito, e minha saudade reaparece nos sermões... as paredes brancas não refletem mais nosso amor... a magia de ontem virou a agonia do hoje, e o amanhã parece ter se desfeito em nossas mãos, como cinzas de um fogo que já foi vermelho, mas que hoje morreu com os ventos inesperados. você surgiu como um diamante numa caverna sem luz, como ouro numa terra seca, você surgiu pra acalentar meus medos - já te disse. e da mesma forma que surgiu - esponteneamente e não por coincidência, e sim pra mudar meu mundo, você foi embora. da mesma forma que vc surgiu - mudando minhas expressões, meus desejos e minha alma, voce foi embora.... voce foi embora pra meu mundo virar pro lado ao contrario.
resta saber qual lado é o certo.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

southafrica

seu sorriso está tão longe do meu
teu calor longe do meu abraço
teus conselhos longe dos meus passos
que saudade

tua voz longe dos meus erros
teu beijo longe do meu desespero
teu cabelo longe do meu peito

nossos espíritos longe um do outro
e os teus mais perto da era primitiva
angustiados por nao pertencer a isso
e angustiados por eu não estar com voce

embora longe,
eu sinto tua felicidade
teu riso e teu pranto
mas sinto saudade
pois sem você
meu mundo é diferente....
minha alegria é triste.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

não é quente, nem fria, nem dói.

Hoje, as folhas não caem mais
o outono não existe mais
o inverno esquentou
e o verão ficou mais perto

só chove
nessa primavera da vida
nessa primavera querida
chove
(o céu chora por você não estar aqui)

e no compasso das lágrimas
vem também amarelas
rosas
rosas vermelhas
rosas amarelas

na harmonia das águas
vem a limpidez dos lírios
o brilho das margaridas
a lucidez dos girassóis

e na natureza chorosa
vem também cores
e mais cores
e muitas cores
pra corear meus pensamentos
e iluminar meu peito
de amor

ah, a primavera
tão linda e sincera
tão intensa nessa terra
que meu sorriso prospera
ah, a primavera
não se vá
pois te quero
minha linda e eterna
primavera

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

penso, logo (?)

Pensei que a cor das rosas transpareceria com o tempo,
pensei que a luz da lua diminuiria com a dor,
pensei que a dor pudesse calar minha gargalhada,
mas só pensei.

Pensei que o sentido da vida está em aceitar que ela não faz sentido,
pensei que a morte é a passagem espiritual da minha mente,
pensei que veria minha irmã do outro lado,
mas só pensei.

Pensei que amor mesmo, só aconteceria uma vez,
pensei que sofrer mesmo, não sofreria mais que antes,
pensei que crescer mesmo, não ultrapassaria meus limites,
mas só pensei.

Pensei que não haveria amizades maiores,
loucuras maiores,
desafios maiores,
dores maiores,
desilusões maiores.

Pensei que pararia de escrever,
que escreveria um livro,
que escreveria num jornal,
que escreveria aqui,
que escreveria
e pararia
e escreveria de novo...

Pensei que pensar é perda de tempo,
que o vento soprando acelera meus segundos,
que eu não vou alcançar a vida
pois ela está muito longe de ser eternizada...
só pensei.

só o tempo vai me responder, se o que eu pensei era verdade...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

aos treze

"Nem o mais sábio dos sábios consegueria definir a complexidade, mas o que ama sente, intensamente, a dor de amar, e de ser amado. Alguns dizem ser dor boa, outros dor maligna, mas dor que não se vê, que não se reconhece, só se sabe, não sei como, originada por dois, e desses dois, que nasce uma ligação súbita de paixão, tal que então, desconheço, e torno-me a incógnita de uma vida solitária e perdida, só então aquele sentimento ao me salvar, tornará minhas dúvidas em respostas, e o outro irá me reerguer por estar tambem sentindo essa dor, que ao meu ver, não mais maligna, essa dor tão boa."

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

-- eu te amo

Para minha amiga Bruna, no dia 04/09/2010.




Cresci
nas ondas dos teus cabelos não raros
Me extendi
até seus pensamentos, ilusões e desilusões
Deslizei
nos teus medos
pra clarear
teus pesadelos
pra te ensinar
entrar pelos
cantos da vida...

E nesse desafio que criei,
me perdi no caminho que chorei,
e quem clareou o breu
não fui eu,
foi você.
Me ensinando que ensinar
é mais do que saber.
É amar o desamar,
é gostar do pezar
pra sorrir o seu sorriso,
até o fim da minha vida.

Não foi tempo,
destino,
ou lugar.
Foi a escolha de ter seus passos nos meus traços,
pra guiar minha passagem
com tua força.
Foi a escolha de ter no meu sangue o teu sangue,
pra simplesmente poder
te chamar de irmã.

Acorda,
quem sente saudade sou eu.
Eu disse que doeu...
e menti.
Pois ainda doi
ficar longe de ti.
Então, por favor,
chegue teus cabelos não raros
pra perto dos meus corações...
E ilumine meus sonhos sem perdões.
E inicie nossa nova trilha.

É a segunda etapa,
de uma história errada.
Porque o verdadeiro conto de fadas
não termina tão sem graça,
sem uma parte da história
que ainda não escrevi,
já que para isso,
preciso estar ai.
Com você
pra sempre
sempre
sempre
e sempre.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

alguma tentativa de escrever algo que não tenha haver comigo mas tenha haver com amor porque eu só sei escrever sobre amor porque é o que todo mundo q

Por que eu e seu eu
não tem o meu
sabor?

Por que nós e seu vós
não tem a nossa
voz?

Você passa e despassa
no compasso do meu chão
cristaliza a minha dor
sem pezar e sem paixão

Pisando nos meus calos
desprovido de dó
de que valeu meu amor
se hoje fiquei só?

Nossa magia se foi
e expeliu o brilho do calor
e agora faz frio
muito frio.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Conto de fadas (?)

Contarei a vocês
uma história de amor
sobre um homem
e uma mulher
que se amaram
mas não sabiam
que amavam alguém
que nunca existiu

Você criou em mim o que queria
viu dentro de mim a perfeição
que não existia
cegou teu realismo
e viveu uma fantasia eterna
espelhando em mim
todos os seus desejos reprimidos
mas você me amou
amou um eu que não era meu

Você descobriu toda a minha farsa
a farsa que você criou de mim
a boneca de plástico
sem pensamentos
nem criações
nem sermões
só perdões
ao seus pés
declarando meu amor

E quando descobriu
teu mundo desabou
teu chão se destruiu
tua reputação sumiu
você se viu perdido
longe da sua idealização
da mulher invisivel
que nunca existiu

E todo seu jeito
perfeito
de ser
foi em vão
pois meu amor
por você
foi invisivel
como eu,
pra você
fui
durante todo o tempo
em que você foi feliz
com um lado meu
que nunca existiu.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Depois de você...

Acordei ontem nos teus braços, com a sensação de que meus pesadelos foram acalmados pelo teu carinho. Depois dos pezares, achei que o amor existisse em vão, e que minhas paixões estariam sepultadas na terra das desilusões, mas ai você apareceu. Achei que meus pesadelos seriam eternamente intensificados, e que a magia dos 3 anos de paixão realmente se acabava depois de 3 anos. Você me fez perceber que existe a impossibilidade dessa magia acabar, que ela perdura no mínimo uma vida inteira. Antes de você, eu procurava minha metade, e agora percebi que ninguém é capaz de completar ninguem, eu sou minha propria metade, você simplesmente me lembra do melhor que existe dentro de mim... Acordei ontem nos seus braços querendo acordar nos seus braços todos os dias. Dividir os cabelos brancos no travesseiro e contar histórias de verões passados pros nossos posteriores. Me deu vontade de encostar no teu peito e pedir ao destino pra que não tire teu coração do meu caminho, pois é ele que ilumina meus passos... Me deu vontade de agradecer à vida pelo melhor presente que poderia me dar, o maior amor que poderia existir... Você me fez enxergar meus defeitos, pra cada dia tentar consertá-los, pra que eu consiga fazer você sorrir como ninguém nunca fez.... amor é isso.
Depois de você, os outros NÃO são só os outros, os outros simplesmente não existem...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Eles

Você ama
ele foge
Você corre
ele se desespera
Você beija
ele agarra
Você tem fogo
ele pede pra ir com calma
Você é santa
ele quer tudo
Você quer calma
ele quer pressa
Você pede
ele dá
Você pede de novo
e é abuso
Você trai
e é castigada
humilhada
deportada
de seu coração
Ele trai
e você perdoa
Você chora
a sua ausência
Ele ri
sob teu sofrimento
Ele volta
Você aceita
se entrega
e perde
a compostura.
Ele mente
você releva
Ele mente de novo
Você termina.
E ele volta
e você aceita
e você se entrega
e perde
de novo
a compostura.
Ele te olha
você diz que sim.
Ele pede
você faz.
Você pede
ele reclama.
Você dá as costas
ele suplica
por você
por teu amor.
Você liga
ele desliga.
Mas se você
não liga
ele se desliga,
e morre,
sem você.
Você se declara
ele se amedronta
Ele é a sua metade
você é só mais uma tonta.

Homem é foda.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Só nós dois

Minha cabeça encostada na janela, sua cabeça encostada no meu peito, debruçada de paixão.
O Sol que brilha não brilha mais que seu olhar, ainda que de olhos fechados... a luz do teu sorriso enaltece a tarde fria e glorifica nossa felicidade por estarmos juntos.
Não há riqueza, luxo ou superficialidade. É tudo transparente e colorido. Tão nosso, só nós.
Como se nosso amor fosse capaz de preencher qualquer vazio existente, qualquer medo persistente, qualquer dúvida insistente.
É como se nosso amor fosse a fonte de luz do Sol, como se nós dois pudéssemos curar o mundo de todas as dores...
Mas enquanto não curamos, apenas deite sua cabeça no meu peito com desejo de sorrir meu sorriso, pra sempre. Porque o que chamamos de amor está estampado no meu rosto quando eu olho nos seus olhos.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Pique-pega

Tomei meu primeiro drink do final de semana
e joguei meus cabeios loiros falsários no travesseiro
sozinha, fiquei pensando nele
só nele
só em você
e troquei minhas pernas
e o copo de plástico caiu da minha mão
e o quarto de paredes brancas começou a girar
e todas as fotos no mural se multiplicaram
se embaralharam
embaralhando minha mente
persistentemente

E de repente eu me transportei pra paredes coloridas
e minha mente se transportou para seu mundo colorido
e minhas paredes brancas desapareceram
e eu já não tinha mais paredes
mais limites
porque eu tinha seus braços
numa felicidade infinita

Meu primeiro drink do final de semana,
do copo de plástico que caiu da minha mão,
foi o teu prazer estampado na minha cara
cristalizando nosso amor
como pirulito para uma criança
depois do pique pega.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Minhas ficções mal contadas

Chorei. Pra talvez ver se você me escutava. Gritei. Pra talvez ver se você me calava. Mas você foi indiferente ao meu desespero, inexistente à minha dor, você ficou perdido na terra do meu coração, pois ele já não queria mais teu amor... Você era o dono de tudo aquilo relacionado ao meu sorriso e, de repente, se tornou o ápice do declínio de uma história de amor mal contada... Você era a causa dos meus êxtases de madrugada e, de manhã, o orgasmo do despertar.
Sem eu perceber, tuas mãos frias e ausentes transformaram minha pele em um tecido áspero e sem cor, criando uma palidez na minha alegria, sumindo com todo o colorido que um dia você me trouxe. Vi que meu corpo tinha tomado as formas dos teus desejos, minha alma era a marionete das suas vontades. Eu era tua serva, com toda a vontade e a não-vontade do meu inconsciente - porque lá no fundo eu não queria ser súdita das tuas ideias.
Por fim, você manipulou o meu coração - pois ainda era o dono desse inocente. Por fim, não calou meu grito, minhas lágrimas e não reascendeu a intensidade dos meus sorrisos não mais infinitos... Por fim, surgiu um buraco sólido e só e somente inconstante dentro do meu peito, me avisando que aquela imensidão escura era proveniente de suas trapaças. Por fim, no fim mesmo, me reergui utilizando de suas forças malígnas que tentaram corroer minha reputação. Minha maturidade e boa energia não o deixou tomar conta da minha alegria, e como uma criança que leva palmada, você chorou.
Você chorou a minha ausência, e vive o troco de anos me tratando como opção, quando eu te tratava como prioridade.
O mundo gira.

Feliz Dia.

E eu já não tenho mais tamanho pra sentar no seu colo
Não tenho mais tamanho pra vir chorando pra você
Eu disparei
e meus cachinhos ficaram guardados nos anos 90

Na poesia pra minha mãe
o céu chorava
e eu dizia incessantemente
que o céu chorava
pelo nosso amor

Hoje, o céu sorri
discretamente.
pois não encontrou o equilibrio perfeito.
é muito amor pra pouco coração
e em breve o céu chorará
por ter você aqui com a gente

Pai,
você não foi só pai
você foi filho, tio e irmão
você foi mais irmão do que muitos de sangue
você foi mais tio do que muitos padrinhos
você foi mais pai do que muitos avós

Se um dia
eu alcançar a metade do que você é
minha conquista estará completa
meu fim estará próximo
e minha reputação alcançada

Pai,
você me ensinou a ambição
você me ensinou a inteligência
você me ensinou a persistência
você me ensinou a saudade
pois você sente saudade dela
mais do que qualquer alguém.

Pai,
você é fraco, pai
você chora
você morre de ciumes
você é carente
você é humano
você não é nenhum idolo
mas é o meu herói

Pai,
na terra dos vencedores
você é rei
na dos amores
você é profeta
na terra dos pais
você é o melhor.

Por isso, hoje, no seu dia, e no dia de todos os pais,
o céu: chora, sorri discretamente e dá gargalhada.
Pai,
parabéns por ser meu pai,
parabéns por ainda deixar eu sentar no seu colo
porque tamanho não significa nada
quando se tem um pai com um coração grande como o seu.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

três meses

Então minhas pernas tremem
mas não é mais o primeiro dia
nem o primeiro minuto
mas elas ainda tremem

Então meu coração para
e dispara
e não para
de bater por você

Então eu ando na rua
sorrindo
por sorrir com você
por meu sorriso ser você

Então eu vejo que o êxtase não teve
fim
e as borboletas ainda estão dentro
de mim
e eu ainda sinto o frio na barriga
assim

incrivel,
não é o primeiro dia,
mas parece
pois essa minha alegria
contagia
quem merece.

sorria, são três meses de harmonia
os primeiros três meses de todos
os primeiros três meses da nossa vida
obrigada
por fazer disso tudo
uma eterna fantasia.


te amo.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Meu fortalecimento

E eu sinto aquela velha sensação,
você não é bem vinda.
Estou aqui,
desconfortável.
Meu coração bate,
desconfortável.
Eu não queria estar aqui,
mas também não queria estar em lugar nenhum.

Não queria estar sozinha,
mas também nao sei com quem queria estar.

Agora, quero o meu passado,
mas mudei de ideia.
Minhas ideias mudam,
e se calam.
Mudas, minhas ideias se envergonham.
Quero sorrir mas meus dentes não.
Meus dentes estão envergonhados.
Quero tracejar uma linha eterna na minha mente,
para que ela obedeça a frequência natural das coisas.
E assim, esteja pronta para reagir às condições adversas.
Mas não.
Eu não consegui encontrar equilibrio,
linha eterna tracejada
nem tracejo
nem linha
muito menos eternidade.

Não encontrei o suficiente pra me transportar ao teu paraiso,
que desconheço.
Paraiso de quem, amor?
Se meu coração agora parece se perder no tempo.
Minhas certezas oscilam.
Mas, de repente, ternho certeza que
eu, por inteiro, quero você...
Mas não para consolar essa minha sensação,
quero você para gozar do melhor,
dos sohos reais que tranformam minha realidade sonhadora.
Meu eu, por inteiro, pede por teu braço e tua distância.
Me desculpe pelos paradoxos,
mas a confusão tomou conta da minha cabeça.
Um aneurisma de duvidas,
interrompendo o tal fluxo contínuo que equilibraria eternamente o eixo do meu ser...
Mas nada disso faz sentido,
nada mais faz sentido.

E dai?

Nenhum poeta é normal.
Isso é para os fracos.

domingo, 25 de julho de 2010

Lembranças Inexistentes

As coisas não estão saindo exatamente como eu quero.
Fase ruim de escrever,
mas enfim.






Meus olhos então enxem d'água lembrando da sua ausência
Frio e inexistente, você finge que não vê
pois minha dor é invisível pros seus olhos indiferentes
Não vejo mais nosso fogo,
a teoria do amor exemplificada em nossos desejos
Não vejo mais você dentro de mim
Mas meus olhos enxem d'água lembrando da sua ausência
E nossas músicas - não tão mais nossas
e nossos dias - não tão mais nossos
e tudo aquilo que foi nosso,
hoje perde o significado...
Só lembro de ti observando pequenas coisas que ainda restam por aqui
mas que são apenas lembranças
de momentos que não sobressairam às decepções
Tudo acabou
E meus olhos enxem d'água lembrando a sua ausência
E meus olhos enxem d'água, porque eu talvez quisesse lembrar a sua ausência
Meus olhos enxem d'água, porque eu talvez quisesse que tudo isso fosse verdade.
Mas não é.
E por isso, meus olhos enxem d'água de alegria,
por ter a presença de um outro alguém
BEM diferente de você.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Palavras

Faz tempo que minha mão não toca no lápis
que o lápis não toca no papel
que as palavras não tocam os corações

Faz tempo que minha mente anda desocupada
que minha ocupação não é só do amor
que meu coração fala mais alto
do que a inspiração de escrever

Faz tempo que poemas não são frequentes
que poesias não são permanentes
que meu talento não é insistente

Mas eu volto,
pra aquecer a alma de quem quer ler
pra sorrir a lágrima de quem quer ver
pra iluminar o breu de quem quer ser
- leitor.

Escrever é se transportar
pro nada
e achar que é tudo

é amar a palavra
e não a letra
é interpretar a vida
com um toque de cor
e uma dose de bebida
e uma dose de amor

Eu vim aqui, pra dizer que não vou embora,
que quando durmo sem usar o lápis,
um pedaço de mim fica no travesseiro


Hoje eu durmo tranquila.
Boa noite.

domingo, 11 de julho de 2010

Somos (...)

O outono se foi. E o frio agora aquece meu coração, queimando gélidamente a paixão que ultrapassa minha pele. O outono se foi, mas com ele não o amor. E eu, como sempre, vivo a te esperar. Esperar que não me abandone, não me largue, que segure a minha mão, seja minha inspiração, meu medo e meu carinho... Seja o bom e ruim, a alegria e a tristeza, a saúde e a doença, o resto você já sabe. E eu, como sempre, estou pensando nos teus braços, aquecidos pela paixão que corre em teu sangue. E eu, como sempre, espero por um sorriso sincero, teus abraços eternos, tuas palavras pra me salvar do que contém a sua ausência... Eu espero por tua presença, pra viver tudo, só com você, nessa eternidade que só a gente entende.. E eu, como sempre, espero pra ser feliz com você, e rir meu riso, e derramar meu pranto... Amar dói.
Somos dois corpos com a tentativa fracassada de entrar em um só, uma única alma apaixonada insuficiente para um amor infinito de dois espíritos loucos para deitar-se e viver até o fim sem receios...
Somos dois, mas o amor é um só.
Somos.
Juntos.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Enfim.

Aqui, fotos na parede
na tua casa paredes brancas
secas sem passado
sem festas, sorrisos ou perdões

Meu coração ri feliz
pleonasmizando o que chamamos de alegria
pra intensificar o que teu riso me conduz
à luz de uma eterna harmonia
mas tuas paredes brancas
secas sem passado
ainda me contagiam pela nostalgia ausente

Mas teus cabelos roçam nos meus
até eu enxergar paredes coloridas
crayonadas pelo prazer que voce me propõe
deitado na cama de bruços esperando por mim
e as paredes têm cor
como as minhas

construindo um passado,
com festas, sorrisos e perdões
mas, principalmente, amor.

domingo, 4 de julho de 2010

Parabéns amor




o telefone toca
e são declarações de amor
brigas de amor
problemas de amor
pazes de amor
historias de amor
enfim.



você vem pro meu colo
se deita
se joga
não acorda
até eu te dar um beijo
até eu fazer um cafuné
- que você não me deixa



você vem como uma criança
me protegendo como um adulto
me abraçando como um homem
mas com seu ar de romantico
com flores no olhar
e paixão no sorriso
nas mãos
no peito



faz tudo parte de você
de mim
de nós dois
da maior historia de amor
do maior paradoxo apaixonado
das cores infinitas
do quarto ao lado
do que não tem fim
de tudo aquilo que você criou em mim...



achei que pra crescer precisássemos sofrer
e estava certa
porque dói não ter espaço pra botar todo esse amor
e eu aprendo todos os dias - a vida.
a vida com você.


eu nunca fui tão feliz em toda minha vida, parabéns pelos seus 20 anos, o primeiro aniversário de todos que eu passarei com você, parabéns por fazer surgir o sorriso mais sincero que eu já tive...

eu to rindo escrevendo isso tudo..... isso é incrivel.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

PS

Ela disse adeus, ele concordou.
Ela virou as costas, ele discordou.
Ela disse que o amava, ele concordou.
Ela disse que a historia tinha acabado,
que o fim tinha chegado,
que o adeus era inevitável,
ele desabou.

Os dois eram como um sorvete no inverno
uma briga a luz do nascer do Sol
o silêncio estridente da madrugada
a solidão dos casais em lua de mel
a paixão dos solteiros num sabado a noite
eram os opostos
mas perfeitos.
eram tudo que não deveriam ser
e mesmo assim eram
pelo simples fato de existirem juntos.

Então ela o abraçou forte
como se fosse o ultimo de todos
porque sabia que era o ponto final
da mais linda historia de amor.
mas não sabia que no dia seguinte
ele a acordaria com rosas mortas em sua cama
e uma carta dizendo:

"eu te odiei, eu quis que tudo tivesse um fim, sabia que nós não daríamos certo. concordo com você, tudo deu errado. nós falhamos, eu falhei, você errou, você foi muito menos do que eu imaginava... você mostrou ter defeitos, e eu te achava a mais perfeita, ai perdeu toda a graça. eu perdi a cabeça, sabia que era muito fácil te largar, sabia que virar as costas seria a coisa mais certa a se fazer, sabia que não nascemos um para o outro, e se existimos por um tempo juntos, foi culpa da ignorância do destino, destino que não pertence a nós. E, por isso, as flores mortas, representando a minha propria ignorância por ter achado isso tudo.

meu mundo sem você é preto e branco.
você é meu oposto, e por isso, o que me completa.
eu te amo.


ps.: volta pra mim?"

terça-feira, 29 de junho de 2010

to meio sem tempo.


quinta ou sexta eu posto.
beijos.


ESPANHA! \O/

quarta-feira, 23 de junho de 2010

acontece.

Um poema dedicado a todas as mulheres que sofreram por amor. Eu espero que assim como eu, elas não tenham cometido o mesmo erro de comprometer sua propria integridade por causa de um amor passado. Nós nos bastamos, a companhia do outro só é necessária quando ela te faz bem; se não o fizer, lembre-se que nesse mundo é você e mais ninguém... e ninguém merece ser a culpa da sua solidão, ou inexistência. Você existe, somente VOCÊ.




Eram três da manhã
Ela bebia
sentada na cama
sozinha

Lembrava os momentos
o passado
o você

Lembrava como ontem
foi bom
e esquecido

Ela bebia
nua
uma taça de vinho barato
com seus cabelos loiros
- falsos -
jogados em cima do lençol branco

Mas tanto faz
o tempo passava devagar
tanto faz
ele já não estava mais com ela

tudo mentira
ela não estava ali
sem ele, ela não bebe
não lembra
não deita
não vive

ele foi e, com ele,
a alma dela foi junto.

sábado, 19 de junho de 2010

Que cada um ilumine a sua parte.

.





Quando o mundo parar de sofrer
os olhos pararem de chorar
e o brasileiro parar de idolatrar a pátria somente em tempos de futebol



e os que tem tentarem dividir o que tem com os que não tem
e tudo virar de cabeça pra cima
e os meus sonhos se tornarem realidade



e a vida não for mais preta e branca
e o Sol nascer redondo pros desprivilegiados
e a luz bater pros escondidos



Quando não existir o preconceito
persistir o clichê de mudar o mundo
quando o mundo tiver mudado
eu espero estar aqui pra ver isso



que cada um faça a sua parte.



Fotos por: Carolina Bastos

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Redação de Escola

Provavelmente ninguem da sociedade no século XXI descobriu o motivo de tanta oscilação na política mundial. Embora essa constatação possa ser um pouco fragilizada em função da extensão de fatos corruptivos e anti-éticos na contemporaneidade, ela pode ser comprovada através da boa ação de raros governantes. A verdade e a mentira então entram em choque, despertando a dúvida do "ser ou não ser", porque o que é verdade para uns, pode ser a mentira para outros.

Política, de acordo com o dicionário, significa um "sitema de regras respeitantes à direção dos negócios públicos". Sistema de regras ninguém tem dúvidas de que é, mas se é, porque não respeitá-las? Se candidatar hoje em dia ficou muito fácil, até um simples companheiro de trabalho da obra do prédio ao lado pode tentar virar presidente. Esquecemos da necessidade de competência que é excercer um cargo como esse, e como o perfil de alguém pode mudar a concepção de um país. A desvalorização da política acarretou em sua propria banalização.

Verdade, de acordo com o dicionário, significa "conformidade com o real". O problema é que não se pode enxergar de qual realidade o Aurélio fala. A verdade dos políticos? A verdade dos eleitores? São verdades divergentes, que se confrontam na hora da definição. É dificil uma população se conformar com o real que os governantes afirmam em alto e bom som. Isso se justifica quando não há o simples resultado da promessa de suas ações. Por isso, quando falamos de política, "verdade" é a ultima coisa que associamos.

Mentira, de acordo com o dicionário, significa "ato de mentir; engano, impostura, fraude, falsidade". é quase impossivel algum cidadão fechar os olhos para tantas mentiras presentes na esquerda e na direita da política mundial. Seja para qualquer sentido, a direção é sempre para baixo, entrando em declínio o que chamávamos de sistema de regras. Mensalão, por exemplo, é apenas um exemplo de "mentirinha". Que dentro de mentira - no dicionário - é definida por "biscoito redondinho e achatado, feito de massa de pão-de-ló", se fosse realmente um biscoitinho, porque não provaríamos e aprovaríamos? Redondinho mesmo, só se for de sinismos.

A verdade, a mentira e a política se confrontam em duelos intermináveis, até que um dia algum político defina o seu ato como um sistema de regras onde há uma conformidade com o real isento de enganos, imposturas ou fraudes. Ninguem sabe ao certo até quando a civilização vai aturar desaforos no cotidiano de suas vidas como, por exemplo, a "cara de pau" de algum canditado ao dizer em um debate que "não roubou". Afinal, quem nunca roubou? Quem nunca roubou 1 real da carteira da mãe? Quem nunca roubou a mentira para omitir a verdade? Eis a questão.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

todo mundo tem um fã clube, você é o meu

Nunca a vi
Nunca a abracei
mas não precisei
pois a conquistei

Nunca disse te amo
Nunca fiz juras de amizade
nunca prometi pra sempre
mesmo assim já sinto saudade

Não precisei do clichê
não precisei de viagens
não precisei daquilo tudo
que uma amizade requer
pra se tornar inesquecivel

Talvez não possa dizer amigas para sempre
mas uma relação platônica e diferente
com você, eu sai do lugar comum
ultrapassei as barreiras da distancia
ignorei a hipocrisia e a ignorância

por você, escrevo
todos os dias
e hoje ainda mais
pois é só por você
pois o dia é só seu

hoje, amanhã e sempre,
me esforçarei pra ser crescente
me esforçarei pra ser aplaudida
por você na minha plateia
me transmitindo uma ideia
de que a vida é mais que isso:
não são só palavras
e sim a interpretação delas

parabens, minha fã #1
você me conquistou
com as suas palavras

incrivel, não?

terça-feira, 15 de junho de 2010

você me inspira

O tempo passa
e eu sinto meu estomago enrolado
por saber que você não está do meu lado
mas tanto faz
suportarei a dor da tua ausencia
por saber que serei ainda recompensada
suportarei a dor
por saber que ainda terei voce.
suportarei qualquer dor,
se você continuar me amando
e então sinto novamente as borboletas no estomago
desenrolando a minha dor
e renovando minha vontade de sorrir
só pelo simples fato de voce existir
sem teu amor, não sou mais nada
não tenho essencia em existir
não tenho motivação em prosseguir
sinto-me criança
sem o doce, sem a dança
sem a graça de viver
numa vida sem você.....

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Sonho

Acordei,
mas o sonho estava tão bom,
então, voltei a dormir.
Mas não voltei a sonhar.
Percebi que era tudo realidade:
eu tenho tudo,
não é brincadeira.
Eu tenho você,
minha máquina fotográfica,
meu ipod com "all my loving",
o cheiro da chuva,
o Sol das manhãs,
o frio debaixo do cobertor,
um fondue com as amigas,
eu tenho família,
tenho meu blog,
kit kat depois do jantar,
august rush na tv,
você pra me acalmar,
baronetti numa sexta,
almoço de família no sábado,
churrasco no domingo
Isso não é um sonho,
isso é minha vida,
e tá bom demais pra ser verdade.


Me belisca.

sábado, 12 de junho de 2010

#3

Esse é o terceiro:

Inveja ou raiva, tanto faz. Não que eu quisesse ter o que ela tem.... rosas, anel de compromisso, beijos de manhã, gostinho de maça, cheirinho de café, um cafuné... Não, quem disse isso? Minha reputação de solteira não me faz caber nesse estereotipo criado pela sociedade. Eu não preciso de um homem me abraçando calorosamente e deliciosamente para me completar: NÃO. Repito mil vezes a mim mesma até me convencer de que passar o dia dos namroados sozinha não é uma tragédia. Mas não me convenço. Eu queria aquelas rosas, aquele anel, aquele carinho debaixo do cobertor, aquele orgasmo que ela sente, e eu não sinto, ou pelo menos não todos os dias... Porra, eu queria um namorado.
Minto, eu queria alguem que não existe, fantasiar meus sonhos em cima de uma cama com lençois de 400 mil fios, eu queria rolar até de manhã e ver o nascer do sol nos teus braços. Mas que braços? Braços inexistentes, somente existentes na minha mente persistente. E eu continuo batendo a cabeça na mesma ideia: acho que consigo viver sem eles, mas não consigo... O que vou fazer hoje nessa merda de dia dos namorados, onde aqueles casaizinhos hipocritas fingindo ter namoro perfeito estão se beijando a luz de velas, mas quando chegam em casa, vira cada um pra um lado e dormem sem o sexo? Porra, eu não quero essa merda. Eu acho que prefiro comer minha caixa de bombons e ver "a verdade e nua e crua" pra cair na real de que estar sozinho me basta. Eu não preciso de você pra me tocar, eu posso fazer TUDO sozinha... ou quase tudo, porra.
Depois de tantas lágrimas que esses filhas da puta me fizeram derramar, eu não preciso de ninguém para secá-las, eu tenho meu senso de ridiculo, meu peito de ferro e minhas mãos de luta para levantar e encarar a vida (ou não). Eu sei enxergar os erros em mim, mas esses homens me fazem achar que é tudo culpa minha. E eu tenho certeza absoluta que nem sempre é... E eu acho isso uma puta falta de sacanagem. Vocês conquistam a gente, sussuram em nossos ouvidos exatamente o que nós queremos escutar, nós damos pra vocês antes mesmo de nos apaixonar, sem medo de se entregar, sem receios de amar. Nós não damos somente nosso corpo, damos nosso respeito e tempo, nosso precioso tempo pra simplesmente tratá-los como filhos. Realmente, filhos da puta. Porque depois de nós nos tornarmos súditas de seus desejos e ajoelharmos diante dos nossos reis, deuses e imperadores, vocês pisam nos nossos calos de paixão, esquecendo que foram criados pelos teus beijos... vocês esquecem que não temos armadura completa, que nosso coração é frágil, nossa sensibilidade é exacerbada e nossa reputação é moderada. Vocês esquecem e pisam... até esmagar nosso orgulho. Isso tudo depois de todas as promessas de amor. É por causa disso que hoje fico sozinha. Mesmo não querendo.
Mas é isso ai: eu prefiro comer meus trocentos twix do que acreditar na patetica relação amorosa eterna que só existe em contos de fadas. Exatamente. Aquele beijo debaixo do luar da meia noite de ontem que você viu é uma simples farsa, é uma capa que os individuos contemporaneos vestem para fingir aos alheios que eles são felizes, é quase como no orkut, todo mundo é bonito, ama e tem felicidade eternizada. Tudo farsa, mentira, calúnia. Nenhuma historia de amor é perfeita, se fosse, não teria nem história pra contar... Mas é isso ai, vou vivendo com a minha inveja de solteira, minha raiva de solitaria e minha imensa vontade de ser feliz pro resto da vida. Sozinha ou não. Com os meus bombons ou os chocolates. Eu prefiro morrer gorda do que viver me decepcionando com a canalhice dos homens do século XXI. Eu prefiro passar esse dia dos namorados comemorando como posso passar uma noite sozinha sem precisar me debulhar em lágrimas por não ter uma companhia masculina ao meu lado...

Ok, me da um lenço.

#2

Esse é o segundo do dia dos namorados:


Começo:
mensagens de texto,
historicos no msn,
elogios de você pros amigos,
convite pro cinema,
uma ligação inesperada
e borboletas no estômago.

Meio:
cartas de amor,
depoimentos no orkut,
elogios de você para você,
convite pra dormir juntinho,
ligações de 4 horas
e borboletas no estômago.

"Fim":
palavras de amor sussurradas ao pé do ouvido,
palavras de amor sussurradas ao pé do ouvido,
elogios e críticas a você,
convite a fazer parte da vida dele,
ligações apenas pra dizer que te ama,
e borboletas no estômago


Comigo foi assim, e com você?Feliz dia dos namorados.

#1

Ok, hoje tenho três, então vai aqui o primeiro, de dia dos namorados, diretamente pro meu namorado (mas vocês também podem se identificar, ok? haha)



Flores rosas na estante
meu pai ainda a ama constantemente
são juras de amor eterno
são 27 anos de eternidade
e não tem fim
cada dia dos namorados
é um novo estopim:
sempre motivos pra se amar
motivos para brigar
motivos pra sonhar
pra viver,
junto.

Eu quero flores rosas na estante
pra sentir esse amor tão constante
eu quero as juras
os 27 anos
a história sem fim
quero isso tudo
quero voce junto a mim
cada dia dos namorados
será sempre um novo sorriso
porque ao teu lado
eu não me canso
de viver
automaticamente
o seu amor.

Feliz dia dos namorados, o nosso primeiro DE TODOS.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vêm e vão

Tem pessoas que passam
e só passam:
você sente um vento quente no rosto
escuta um pagode no ipod
ou vai ao cinema numa terça-feira
e faz juras de amor
amizade
maldade
e tem o fim,
sempre doloroso,
tem a decepção,
sempre dolorosa.

Tem pessoas que passam
e só ficam:
apenas ficam.
você sente um vento frio no rosto
congela seus sentimentos
congela o tempo
faz juras de amor
faz promessas,
e não quebra,
e tem o fim,
um fim doce
culpa do acaso, do tempo,
culpa da tua preguiça.

Tem pessoas que passam
e ficam - literalmente.
São pessoas que olham e falam:
acorda menino!
Eu to aqui,
eu vim pra ficar.
E ficam.

Eu conheci algumas assim
mas conto na palma da minha mão,
onde as linhas das suas vidas correm no meu sangue,
essas daí são parte de mim,
estão cravadas no meu coração.
E as juras que faço pra elas são de uma infinita paixão.
E essas sim:
não tem fim.

Eu e você, aqui.

Tua pele cansada não encosta mais na minha.
O teto branco não espelha minha alegria de estar neste leito com você.
Se eu pudesse, estaria neste leito com você todos os dias, quem me dera...
Nossas brincadeiras, as pernas nuas ainda suadas permanecem entrelaçadas,
e eu só queria te ver sorrindo todas as manhãs.

O quarto bagunçado representa o nosso cansaço.
Eu beijaria você todo - mas isso só você vai entender.
E nada mais faz sentido se não tiver seu nome pregado...
se amanhã eu acordar e você não estiver aqui, não serei nada.
Sem teu amor, não existo.
Sem teu abraço, me perco num vazio onde só os fracos habitam.
Sem você sorrindo de manhã, a vida é mais difícil.


Mas levantarei sorrindo, por simplesmente saber que um dia acordarei todos os dias com você.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Lençóis Novamente

Escrito no dia 6 de Junho, no livro de fotos "Momentos e Movimentos", ao lado de uma foto dos LENÇÓIS MARANHENSES:



Me perco nessa imensidão vazia que meu corpo encontrou depois de sua partida. Doeu, e eu não tinha noção... Eu não imaginava doer tanto ter que desatar minhas mãos das suas.
(mas minhas mãos estarão sempre atadas as suas.)
Sinta o vazio que você deixou na despedida...




(...)





Eu não vou deitar em seus braços por entre esses lençóis, hoje...
Eu não te darei beijo de boa noite,
não sussurrarei palavras de amor
não te amarei.
Caso você não leia, amanhã eu te lembro como eu queria ontem ter adormecido ao seu lado...
Então nos imagino por entre esses lençóis novamente, sussurrando declarações e juras de amor eterno. Mas agora, apenas sinto uma angustia solitária e nostálgica por estar somente só... Sinto um vazio por não ouvir tua voz e não sentir borboletas no estômago já que você não me puxa mais pela cintura... Você me deu a inspiração, o riso e agora, o pranto: o amor é muito grande pra caber aqui... o amor não cabe e meu peito dói... é tanto amor que dói... e meu pranto se estende até tocar esses lençóis novamente, que acompanharam nosso suor e nossas gargalhadas, meu êxtase, meu prazer, meu a gente. Apenas esses lençóis me entendem, novamente esses lençóis me entendem, e eles te esperam num vazio imenso habitado pelo inexistente e completado pelos meus sonhos com você... a tentativa de me preencher é em vão.
Mas amanhã, acordarei nesses lençóis novamente, e novamente sorrindo por saber que ainda dormirei muitas noites com você por entre esses lençóis.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

ressaca

O QUE UMA AULA DE FILOSOFIA NUM DIA DEPOIS DA CHOPPADA FAZ COM A GENTE?
Eis o resultado.



Minha experiência Dionisiaca
Tudo junto e misturado
E fora de si
Como LuCy In ThE sKy
Tudo muito bom
e colorido...

Não foi como aLiCe
Mas eu estava nas MaRaViLhAs
Não precisei de DiAmAnTeS pra ver graça nas coisas
Teu prazer já ofuscava meus olhos
Meu bendito fruto
Minha experiência Dionisiaca

Hoje, vale tudo:
Embriaguez, Oargis e ursinhos carinhosos
Tudo junto e misturado
Pra curar minha ressaca de prazer
das melhores pazes que poderiamos ter

Hoje, então, vale tudo:
contanto que seja com você
no mundo REAL
no NOSSO mundo
no mundo Dionisiaco...

domingo, 6 de junho de 2010

felicidade aparentemente eternizada

Será, então, que eu mereço ser culpada pela minha felicidade aparentemente eternizada? A cultura hipócrita da sociedade atira pedras em mim, pois eu sorrio em quanto os meus indiferentes choram. O contrário aconteceria, pois nossa globalização esqueceu de avisar que os sentimentos também foram "vítimas" do século XXI. Ninguém se importa com as lágrimas alheias, por que eu deveria me importar com o drama de quem não conheço? Sem nem conhecer a veracidade do seu coração...
Tudo mentira. Talvez quisesse eu ter a frieza de não chorar quando a sociedade chora, de não doer em mim quando vocês sofrem. Entretando, prefiro ser taxada de sentimentalista exacerbada do que da junção infeliz do neologismo friaecalculista. Prefiro ter meu sorriso atingido do que ignorar o desespero dos desamparados.
Então, não mereço ser culpada pela minha felicidade aparentemente eternizada, já que a divido com a globalização, a falsa sociedade hipocrita (ou sem o 'falsa'), os alheios que nem me conhecem. Mas se tua tristeza for proveniente da crueldade, não espere de mim poesias cor-de-rosa. Não estou pronta pra fingir a ti minha ignorância perante sua maldade. Estou pronta pra estender a mão a quem estenderia por mim.
Se sentir seus olhos aguando, tuas pernas bambas, teu corpo estremecido, saiba que meu amor é contagioso, e faria de tudo pra secar a tristeza do teu rosto.
Eu tenho a felicidade aparentemente - ou não - eternizada de sobra, e se você não for um mau-caráter capaz de destrui-la (ou tentar), eu a divido com quem precisar de um nariz de palhaço.
Eu posso te fazer feliz.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Minha cidade

Os pássaros beijam o infinito cinza, observando meus cílios piscantes - almejando ver minha cidade sob o Sol da primavera.
Ainda assim, as ondas batem, soltando sua espuma branca por entre os diversos verdes da eternidade das águas.
Nando Reis no meu ouvido me lembra o ontem,
o que não volta mais,
o que eu quero trancar no meu passado...
E a cidade maravilhosa canta apagada, cheirando a chuva e solidão...
Ela sente o vento dos coqueiros, a areia úmida da tempestade da madrugada e implora - mesmo - pra não se ver debaixo d'água novamente.
(Depois daquela semana, ela sempre implorará por Sol a São Pedro, por medo de ver suas crias morrerem em vão...)
Eu vejo os gringos perdidos, lamentando-se por vir ao Brasil em dias de 18 graus, e mais:
Sem o RIO 40º GRAUS, sem SOL.
Lamento por eles, por não morarem aqui.
Estou em paz.
Estou na cidade mais solitária, mais visitada, mais admirada, mais paradoxal. Estou em paz.
E ela me inspira,
e ela me renova,
ela grita por palavras, por amor, por abraços, por carinho, por poetas.
Hoje, minha boa ação por ela foi registrar bonitas palavras em sua homenagem.
E você?
O que faria pela sua cidade?
Ao menos, pare e tenta senti-la.
Ao menos, pare.
É uma dádiva,
e eu estou em paz.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Ao meu amor

(Eu ia postar os outros textos malucos, mas acho que esse daqui merecia um post logo, mas ele é maluco tambem - de amor.)


Você surgiu,
em meio à tempestades e desilusões, você veio, iluminando e colorindo meu mundo, você surgiu e junto sua voz, seu violão, seu sorriso, seu jeito de achar que é menos do que realmente é.

De repente o amor não existia mais em vão, o amor não existia e terminava, o amor era eterno... mas essa seria nossa história resumida, seria nossa história contada em meras frases, em uma mediocre declaração. Mas foi mais, muito mais. Foram poucos dias, e os mais intensos que eu já vivi... foram em 5 encontros que me apaixonei por você, e resolvi entregar meu amor em suas mãos, porque eu estava em suas mãos...
tudo aconteceu como deveria (rápido - mas como deveria). Somos opostos, mas somos apaixonados pela vida, você gosta do recheio, eu gosto do pão, você gosta de pizza com cebola, eu odeio... você liga muito pras minhas roupas, eu não me importo se te ver de chinelo e abadá, eu só me importo que seja você...

Mas o mundo não me trouxe você à toa (ela não te trouxe à toa).

Você tem um brilho no olhar, você sabe o que quer, mas não sabe por onde começar (e nisso nós somos iguais, mas você começa mais rápido...), você, assim como eu, precisa de alguem te assistindo, rindo de você, com você.

Você canta como ninguém, com paixão e com medo de errar. Você faz as coisas sem medo de errar, você não erra quase nunca, você improvisa, grava só uma vez, você em um mês estará perfeito, você JÁ é perfeito.

Você embala sua vida com palavras, faz da comunicação uma ideologia, faz dos poemas músicas, dos raps poesias, do amor um estilo de vida... você mudou meu estilo de vida, você me mudou.

Você é tão bom, que não consegue enxergar por entre suas tantas qualidades, você não vê a dimensão disso tudo, você não enxerga sua perfeição porque ficou tão cego com a minha (ou o que você acha dela).

Você sofreu - e muito, você ultrapassou as barreiras do preconceito, da humilhação, da ausência, você presenciou a falta, você chorou a saudade, você sentiu a perda, sentiu o recomeço, e a perda de novo... e quantas perdas, e quantos recomeços, recomeços sem propositos, um só sorriso que levariam a milhões de lágrimas... você desacreditou na vida, e acreditou no amor materno, você deu mais valor, você andou mal vestido em casa com a família pra estar mais perto de todo mundo...

Seus olhos brilham quando você fala dela, você se espelha nela, você quer crescer como ela... Sem ela, você não existe, sem ela, você não é nem metade, nem um terço, nada...

Além da mãe, você tem os melhores amigos do mundo, que dividem com voce seus sorrisos que me iluminam, fazendo deles luzes da minha vida tambem.
Você quer tudo ao mesmo tempo, você NÃO tem preguiça, você tem cansaço.

Você quer todas as cores na sua empresa, todas as câmeras viradas pra você, você quer ser o piloto da vida, você quer tornar sua vida um fuzuê, você quer formar uma família, você quer alimentar os que precisam, você quer suas palavras na boca das pessoas - cantando por ai, você quer criar, você sabe criar, você vai realizar seus 8 pedidos, porque você é um gênio (o meu gênio).

Você tem fé, e isso é a coisa mais importante do mundo, porque você acredita no seu potencial.

Você se tornou uma das pessoas que eu mais admiro no mundo.

Você acredita nas pessoas, você acredita em mim, como ninguem nunca acreditou. Você lê minha mente, você sabe meus maiores desejos, você decifra meus sinais, você ME decifra.

Você escuta o que eu digo, você discorda de mim, você pede meu sorriso, você segura minha covinha, você ri pro meu sorriso, você me ama pra caralho...

Você tem medo dos meus pais acordarem de madrugada, e pede desculpas por isso, mas me faz feliz por simplesmente estar nos seus braços... você ronca e eu não ligo, porque eu só escuto o som do nosso amor 'ecoando nas paredes da eternidade'....

Você faz de um hiphop uma melodia de amor, nunca ficar no escritorio com alguém foi tão bom.

Você teve a certeza de querer me ter quando eu já era sua... você teve medo por eu estar longe, mas perdeu quando viu que não existe ninguém no mundo pra mim além de você...

Você me perdoou, duas vezes, por amor.

Você tirou o 'perfeita' do seu vocabulario, mas eu reconquistarei em breve. Você fez eu achar que era perfeita, que podia ser perfeita, que nós podiamos brincar de descobrir desenho em nuvens, contar os meus pesadelos, e até minhas coisas fúteis (o resto a gente deixa pra mais tarde).

Você virou minha metade, e ao mesmo tempo meu inteiro, nós nao somos um, nós somos dois, unidos pelo maior amor (aquele da unica estrela no céu).

Você faz eu me arrepiar quando me puxa pela cintura, você me faz arrepiar quando puxa meu cabelo, você me faz arrepiar quando me beija...

Com você, não tenho medo de ir alem, não tenho vergonha de ser quem eu quero, de fazer minhas vontades, realizar meus desejos, minhas fantasias... minha fantasia é você.

Com você, eu não tenho medo de nada.
Com você, eu descobri o que é reciprocidade.
Com você, eu aprendi o que é amar por inteiro: o rosto, o corpo, o jeito, o talento, o sexo, a voz, as palavras, a inteligência, os defeitos.

Sem você, minha vida não acabaria, ela simplesmente perderia a essência de existir. E, por isso, não haveria mais motivos nesse mundo para estar nele sem te ter.
Eu quero te ter pra sempre, como você me tem...

eu quero você pra tudo aquilo que as pessoas prometem, eu quero você pra ser todos os meus clichês, quero você pro 'eu aceito', quero você pra dividir promessas, quero você pra cravar nos nossos corações o maior amor do mundo.
Com você, meu tempo para.

Quem é incrivel é você.
Eu poderia ficar anos escrevendo sobre quem você é, mas eu prefiro te dar um beijo e conhecer mais detalhadamente cada pedaço seu, pro resto da minha vida.
Só não sai dela.

Te amo, pra caralho.

sábado, 29 de maio de 2010

Marianifobia

Eu tenho escrito muitas doideras, então se preparem ai que vão vir alguns posts meio estranhos... esse daqui deve ser o mais normal, mas isso é fase gente. haha



Um monólogo
frio
eu sinto
frio
e me arrepio.

Suas frias
palavras
sua fria
hesitação
e eu me canso
de me arrepiar
de frio.

Não gosto disso
Não gosto da aula
Não gosto de cinema
Não gosto dessa aula de cinema
Mas isso é apenas um problema
mais um.
e ele não liga
pois é seu monólogo
frio
e eu só me arrepio
de frio.

STOP
Não gosto dessa aula de cinema.

Quero um chopp
ou dois, três, quatro...
só penso na noite de hoje
quero a embriaguez
ou minha antiga aula de redação
ou minha atual aula de amor
ou da vida
e não de cinema alemão
- guarde seu nazismo pra si
seu frio nazismo
seu frio monólogo
frio.

Eu quero sair daqui
não quero sentir frio
nem arrepio
eu quero um chopp - ou vários
no silêncio
QUENTE
do MEU proprio monólogo

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Praia - Parte II

Escrito em 18/05/2010 em "Momentos e Movimentos" (livro dado pelo meu lindo namorado). Parte II.


Eu nasci pra ver o nascer do Sol nos seus braços.
Eu nasci pra te amar por entre esses laços... nossos laços.
Minhas veias então suplicam por amor... minha pele está sedenta por paixão, gozo e desejo. Eu olho a luz do Sol e ele não brilha mais do que o meu amor. A vida é muito breve...
Meus cabelos são coloridos pelo laranja das manhãs, até hoje inexistentes junto a ti...
Então sinto-me embalada pelo teu prazer, teu amor, tua voz serena diante da combinação perfeita de paixão, Sol e mar.
Mas é só um sonho...
Parece um sonho, já que é tudo tão bom...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Praia - Parte I

Escrito em 18/05/2010 em "Momentos e Movimentos" (livro dado pelo meu lindo namorado). Parte I.


Tua boca beija os meus sorrisos, que esperam por suas mãos prontas pra abraça-los. O calor do teu corpo me faz querer, querer e querer. Poderia então realizar minhas fantasias?
Deite comigo nesse piso claro e áspero, onde as pegadas ficam cravadas como suas palavras ficam no meu coração... esperando a travessura das águas calarem nossos passos. Escute comigo.
Escute comigo o silêncio metafórico da espuma das ondas, iluminadas pelo primeiro despertar do dia, pela despedida da noite, pelo desaparecer da NOSSA estrela que represente o meu amor...
Escute comigo meus sons de amor, emitidos através do meu desejo incessante de te pertencer. Hoje, eu sou sua. Hoje, amanhã e até quando o meu Sol continuar nascendo, serei sua.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

No escuro





De olhos fechados
enxergo
meu céu reflexivo
que se põe a sonhar.
enxergo
seu mal estar
enxergo - ou ouço
seu suspirar

De olhos abertos
apenas sinto
mas não enxergo,
pois os sentidos se misturam
se procuram
e se perdem
e eu não enxergo nada
- ou talvez não o devesse fazer

para enxergar teu amor
preciso, então,
intensificar minha cegueira
tenho que ouvir teus sorrisos
sentir tua paixão
pra enxergar teu amor

tenho que intensificar minha cegueira, então
pra não enxergar o entorno
os defeitos
os olhos alheios
ou a imperfeição de nós dois

então, feche meus olhos
e enxergue meu amor
feche seus olhos
nossos olhos
e sinta nossa perfeição
ecoando nas paredes
inexistentes da nossa historia do infinito,
do amor.

mas só de olhos fechados.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Bom pra caralho.

Desculpe a demora, eu tava viajando, e quando voltei, fiquei meio sem tempo. Mas aí vai um, pra quem ama amar:


Li tantos poemas de amor,
ouvi tantas declarações de paixões,
viviv tantas lembranças e desilusões,
senti tanta saudade por amar...
mas não enxerguei - na intensidade de nossas almas -
a felicidade eternizada.
não enxerguei nuvens brancas no céu,
pegadas nas areias cor de mel.
Não enxerguei a endorfina do chocolate no teu sexo,
não senti o calor nos teus braços
não senti sua metade quando você era meu inteiro...
Desacreditei nas palavras de drummond e vinicius,
na sabedoria apaixonada dos poetas...
Achei que morreria sem amar,
sem ter alguém nas minhas manhãs
com cheiro de história sem fim...
Achei que não viveria:
o êxtase do sexo escondido,
a suor de mãos entrelaçadas,
as borboletas no estômago.
De repente - mesmo,
veio tudo de uma vez só,
acusando minha sensibilidade exacerbada
em amar com a alma.

Veio, então, tudo junto.
Sem pedir permissão pra invadir minha racionalidade.

Faz tempo que não escrevo sobre decepções,
as minhas,
aquelas que quase - só quase -
me fizeram desacreditar na incapacidade alheia de amar.
aquelas decepções que quase - só quase -
apagaram o passado da minha memória.
Faz tempo que não choro de dor,
no máximo, a dor de um amor tão grande
que mal cabe dentro de mim...

E se por acaso, você enxergar águas nos meus olhos,
saiba que elas refletem paixão...


Faz tempo que eu não me sentia assim,
porque, sinceramente, amar é bom pra caralho.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Meu céu...

Com um gosto amargo na boca, ela sentia o desprezo do amor tão platônico, ela não conseguia alcançar as dimensões estratégias que ele construía para impedi-la de entrar na sua vida. Ele não queria ela por perto, por saber que não conseguiria beijá-la sem entregar sua alma ao acaso. Ele não queria ela por perto, por saber que sua fraqueza apaixonada era muito maior do que sua frieza calculada. Seu lado passional gritava por mais calor e mais noites em claro, ao seu lado, ele estava desacreditado na hipocrisia dos amigos imaturos que só pensavam em mulheres de uma noite. Ele queria uma única mulher pra todas as noites de sua vida. Ele a queria, mas seu medo de amar o impediu de crescer o seu destino, ele esqueceu que pra viver você precisa arriscar... Ele esqueceu de tudo, menos dela.
E ela, no meio de rios abandonados, calmos e silenciosos, se viu perdida na ausência do seu amor. E ela, se viu perdida na falta imensuravel que ele causava no seu coração. Ela não sabia da sua passionalidade, acreditava que sua razão falava mais alto, que ele simplesmente não estava mergulhado na dimensão que ela estava, ou que ele não estava nos céus com ela. E ela tinha razão, pois ele estava três metros acima do céu... Ela não podia equilibrar suas emoções e o vazio que ele cavou na vida dela, e por isso deixou se afogar nos seu rios abandonados, calmos e silenciosos, calando sua voz com caixas de bombons.
Ele não podia deixar sua babaquice de criança falar mais alto que seus sentimentos sinceros. Os sorrisos fingidos dos amigos o faziam acreditar que a vida se resumia em noites mal dormidas, comendo garotinhas na esquina. Mas os apaixonados enxergam muito mais, os apaixonados passam noites mal dormidas, pensando em como um amor pode crescer mais a cada dia, como ele não atinge as barreiras da eternidade, como ele não consegue metaforizar ao pe da letra o que é se sentir nas nuvens. Ele esqueceu a ignorância dos racionais e se entregou, como nunca tinha o feito.
Deitou nos braços dela, e pediu perdão incessantemente pelos segundos que passou longe, a presenteou com flores da cor de seu sorriso, com um beijo doce como seu amor, e acariciou-a, sentindo o cheiro dos seus cabelos de inocência... eles olharam as estrelas, que na verdade se resumia em somente uma. Naquela noite, eles só viram uma unica e a mais brilhante estrela no céu, representando o maior amor e mais inexplicavel que duas pessoas podem sentir: o deles. Ou melhor, o nosso.

domingo, 16 de maio de 2010

emecedeltateta

Ele estava com frio, fazia tempo que não sentia o calor humano colado em seu corpo. Ele tremia de tantos graus negativos, negativos, frieza, quase congelante. Ele parecia não ter cobertor, lã, agasalho ou qualquer Sol que o fizesse equilibrar sua temperatura corporal.
Ele cada vez mais perdia o calor, conforme as pessoas se afastavam... Começava, então, a se sentir sozinho, frio, longe da coletividade e do aquecimento mútuo. Ele, então, começou a sentir suas pernas tremendo, achando que ia morrer de frio, metaforicamente.
Quando ela começou a voltar de seu inverno, seus graus negativos, seus negativos, sua frieza, ele então passava a sentir seu calor voltando à pele. Ela foi entrando na próxima estação, equilibrando a temperatura corporal de ambos.
Ela deixou uma sensação térmica mais elevada - ilusória - ao encostar o seu corpo nu no dele. Ela tentou passar seu calor de primavera, seu cheiro de rosa e seu sorriso de girassol. O inverno dele então foi se acabando, e ele começou a reconhecer seu cobertor, sua lã, seu Sol. Sua temperatura subiu e ele começava a perder o contraste da pele pálida e bochechas rosadas.
O gelo derreteu e o aquecimento equilibrou as temperaturas. Ainda não era verão, mas o calor e as águas derretidas das estalactites permitiam o crescimento das flores.
A vida ficava mais colorida, mais perfumada, menos fria.
O inverno tinha ido embora e, com ele, a sua solidão.
Seu mundo então esquentou, sua vida esquentou quando ela juntou seu corpo nu ao dele.
Quando ela juntou sua vida na dele.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Nós somos muito pra vocês

Bom, essa poesia tem uma historinha, eu a escrevi, mas os pensamentos não são meus (calma, não é psicografia - é quase isso haha). Em homenagem a 3 amigas maravilhosas que estão fazendo desse meu começo de ano o melhor de todos (as calouras mais lindas da puc):



Deslizo o lápis no papel
Deixando a minha marca
Como a sua em mim
Como suas palavras na minha pele

As coisas jã não fluem com facilidade
Queria eu deslizar sobre o amor
Queria eu marcar minha paixão
Mas você continua de olhos fechados
achando que o amor não é mais que ilusão

Botei o preto no branco
Deixei na cara a tapa o meu amor, meu amor
Pra enxergar reticencias tão vazias
Então virei as costas
pra você não me ver.

Fiquei confusa com tantos amores,
desamores, inconsequencias, imaturidade,
e tanta distância de mim,
tudo muito pouco pra mim
MUITO pouco

Mas quem perde é você
Mas quem perde são vocês
E eu cresço
em cima da sua ingenuidade
em cima da sua imaturidade
se perdendo em mares de incompetências
de amores deslumbrantes
de desamores ilusórios
de uma vida sem nós.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Proxima parada: amor.

Uma mochila
uma maleta
dentro não sei
papéis
cadernos
palavras soltas

Uma energia boa
uma lotação
438 veio lotação (há)

E eu
sentada
observo as pessoas
se expremendo

que destino ele tem?
pra onde ele vai?
pra que a pressa?

você não encontrará
a essência de viver
na esquina

você não tem onde chegar
nem sabe da onde veio...

sua mochila
uma maleta
pouca educação

barrigas esbarrando-se
em costas
casacos molhados
pela tristeza do céu
pra onde você vai?
eu vou até o amor...

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Uma estação bonita...

O outono veio e com ele também o amor.
O outono veio e trouxe com ele suas folhas amarelas,
e elas beijam a minha pele,
atravessando meus cabelos,
admirando os meus arrepios de frio (ou por estarem com você).

As folhas amarelas então tocam o chão.
Quem me dera tocar todo esse chão.
Deixá-las cobrir o cimento, o ferro e o aço,
para deixá-los com a cor do Sol...
Quem me dera...

Que me dera iluminar meu mundo,
como seu amor ilumina meus olhos...

O outono veio e com ele veio você...
O outono veio, as flores amarelas cairam sobre a minha pele e,
com elas, o seu amor desembaraçou meus cabelos,
penetrou na minha vida...

Ah, o outono....

Quarto ao Lado

Fecha os olhos e escute comigo o som do amor...
tire o relógio e divida comigo o que não tem fim.
Viveremos um conto de fadas,
nossas mãos atadas,
suando paixão.
Eu aperto as suas costas com tesão,
nossos sentimentos se conflituando no chão,
no chão do quarto ao lado...
Escute, então, o som do nosso amor,
ecoando nas paredes de êxtase,
ultrapassando as barreiras da eternidade,
metaforizando uma entrega sem fim.
Quem me dera,
no auge do meu viver,
fazer do auge mais auge,
por simplesmente amar você.
Quem me dera, você ficar comigo, hoje, hoje...
e até meu último suspiro,
que suspirarei por você,
no quarto ao lado,
ou em qualquer lugar....

terça-feira, 11 de maio de 2010

Cegueira

Escutei seus passos
no piso de madeira frio
correndo como um rio
sem foz nem nascente

Escutei seus passos
e sua voz diante de mim
gritando como se odiasse
nossa história ter um fim

Escutei seus passos
apressadas e estridentes
quebrando meu silência
na sua vida friamente,
vivida.

Escutei seus passos
sua voz, seu grito
mas não o vi
pois fechei os olhos
para não ver a dor
que eu sentia
escutando seus passos
sem poder correr pra você

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Sem hora pra acabar...

Eu só ouço a sua voz, e mais nada... eu só ouço a voz, no meu ouvido, longe de mim, a kilometros de distância... você pode estar do outro lado do mundo que eu vou escutar sua voz... ah, a sua voz...
diz pra mim, que eu colori seu dia escuro, que eu reuni tudo que você procura, que eu faço tudo direito, que eu te deixou louco, que meu sorriso escondeu a lua, que pra você bastou meu sorriso, que pra você bastou meu amor...
Eu só ouço a sua voz, e mais nada...
Diz pra mim que eu sou incrivel, que eu faço você me achar mais a cada dia... me conquista a cada dia, como se você precisasse disso pra eu me apaixonar por você (mais a cada minuto)... faz com que cada minuto seja eternizado, porque ao seu lado, vale a pena parar o tempo.
E eu só ouço a sua voz, e mais nada...
com você vale a pena parar o tempo...
como tantos minutos ao lado de alguem pode me fazer sentir saudade quando você sai por alguns segundos? é estranho sentir isso, querer ter alguem o tempo todo, me lembrando como eu posso ser maravilhosa, como eu posso ser perfeita, mas só com você...
Eu só ouço a sua voz, e mais nada...
Sorri pra mim, pede um beijo, me pede pra mandar um beijo,
eu faço, porque com você vale a pena parar o tempo,
com você vale a pena parar a vida,
parar tudo, pra olhar o seu sorriso, pra ouvir a tua voz, porque eu só ouço a tua voz, e mais nada...
para o tempo comigo,
mas não para de falar,
eu preciso ouvir sua voz,
com o meu relogio parado,
ou sem relógio...

domingo, 9 de maio de 2010

Mãe.

Fui fruto de um amor eterno,
fui reflexo de uma paixão sem fim,
fui a segunda - mas não menos especial,
porque sei que pra você, fui unica.

Fui o começo do fim,
a caçula que não deu trabalho,
a adolescente menos rebelde,
mas talvez a mais apaixonada.

Mas hoje o dia é seu,
as palavras são pra você,
e o céu chora,
de tanta emoção pela sua simples existencia.
o céu chora,
de tenta emoção por existirem mães como você.

você me pegou no colo,
calou meu soluço,
cessou minha fome,
acariciou meus pesadelos,
tranquilizou meus medos,
aconselhou meus desesperos,
entendeu meu pranto,
compartilhou meu sorriso,
espalhou meu talento...

você foi admirada,
você foi lembrada - sempre.
você foi eternizada,
na minha memória...
você foi minha heroina, minha bandida,
você foi MUITO mais que uma amiga.
você foi uma irmã,
e dedico minha vida a você...
dedico meu talento, minhas conquistas,
meus sonhos alcançados.

você acreditou em mim,
você me segurou no meu fim,
você não me deixou cair,
eu não toquei o chão, por você...
mas mantive os pés no chão, por você...

sem metáforas,
sem palavras ideais,
sem nada que descreva
meu sentimento por você
sem nada que descreva
minha vida com você.

e o céu chora mãe,
o céu chora de emoção por você estar aqui....

você ganhou o mundo,
e tentaram tira-lo de você
mas você foi mais forte
você foi mais, muito mais
você foi perfeita
e não existem metáforas
você foi uma vencedora,
e os vencedores levam tudo......

você foi feliz, você ainda é,
você sorri e o mundo se ilumina,
você me abraça e minha alma se ilumina,
você deixou suas pegadas,
pra que eu as seguissem,
pra ser metade do que você foi,
e quem sabe eu tambem seria eternizada,
na memoria de meus filhos.....
você deixou suas pegadas,
pra eu ser eternizada na alma de alguém
como você foi na minha

você tá dentro de mim
e se sair, surgirá um buraco
impossivel de preencher.
você é tudo, e mais um pouco....

e o céu chora,
o céu não para de chorar
de emoção
por você estar sorrindo

Só me lembro de Drummond
que se fosse rei do mundo, baixava uma lei:
mãe não morre nunca.

Mãe, fosse eu rainha do mundo,
baixava outra lei:
que alem de sua graça ser eternizada,
eternizaria a minha tambem,
pra estar com você,
por muito alem dessa vida....
como se eu precisasse da imortalidade pra saber que estarei com você em outras dimensões.......

sábado, 8 de maio de 2010

Nos finalmentes.

Esperei 18 anos pra isso. Pra poder dizer que posso dirigir, beber e ir fazer o que eu bem entender da minha vida... Na verdade há um tempo eu já podia casar, abrir empresa e responder pelos meus atos, porque meus papais acharam que eu já tinha discernimento suficiente pra alterar dois anos na minha certidão. Mas a partir de agora, dia 8 de maio de 2010, eu não usarei mais a identidade da minha prima, identidade da minha amiga, e nem sentirei frio na barriga na fila da baronetti. Hoje eu posso pedir quantos chopps eu quiser (como se antes não o fizesse), e esbanjar minha maioridade pra quem quiser ver... Hoje eu posso.
Desde pequena, tive amigas mais velhas do que eu, portanto, meus dezoito anos eram os mais esperados de todos, por ser o ultimo... E chegou, e agora não tem mais graça, porque ninguem vai ficar me chamando de pirralhinha, e dizendo como a foto da minha prima é tão diferente de mim... Minha meia noite eu passei da melhor forma possível: com muito amor. Brindei com as minhas amigas, eu ri para o mundo com meu sorriso de criança, transbordando felicidade... eu ri para quem quisesse ver, eu nunca passei uma meia noite tão feliz...
Faltaram pessoas... muitas pessoas... mas nem tudo é do jeito que a gente quer, e eu espero que a ausência alheia seja belamente justificada. Enquanto isso, volto a dizer: gritar que eu tenho 18 anos do lado das amigas mais maravilhosas e de mais uma pessoinha ai especial é PERFEITO! E ainda com uma garrafa de champagne na mão? Eu não precisava de taça... eu não precisava de nada, de mais nada, eu tinha TUUUUUUUUUUUUDOOOOOOOOOO. E quem não bebeu da vodka falsificada adulterada com o energético de primeira linha e não ficou alucinado ontem: perdeu a noite. Enquanto eu, GANHEI TUDO.
E a festa seguiu.... músicas, fotos, danças até o chão, alcool (muuuito alcool), declarações, taxi, lei seca, freiada, etc etc etc, terminei a minha noite (ou comecei o meu dia), vendo o azul do céu estampado no meu mundo, declarando minha sentença eterna de felicidade, ali eu sabia que estava no caminho certo... Percebi que pra eu ser feliz, tenho que acreditar no meu potencial, e melhor: estar com pessoas que acreditam no meu potencial, que me lembram todos os dias como EU sou incrivel, pra eu simplesmente não deixar de ser.... por você, eu me esforço até o infinito pra isso...
Depois das poucas 3 horas de sono, eu precisava botar em palavras a minha noite, por mais que eu não ache que um texto é o suficiente pra descrever momentos tão perfeitos assim... As palavras marcam a minha vida, fazem parte dela, mas elas não conseguem definir por si só a minha alegria, a minha espontaneidade, a minha vida... elas não vão conseguir definir meus sentimentos, nunca, e o que eu to passando nesse momento, e eu juro: não podia estar melhor...
Obrigada a todos que fizeram de ontem a melhor noite do ano, e uma das melhores da minha vida, foi realmente especial, a participação de cada um foi essencial no conjunto do que foi a comemoração dos meus 18 anos. DEZOITO ANOS. Porra. É tão bom poder falar...
Eu cresci muito ao longo desses ultimos 5 anos, e continuarei crescendo, sempre, e tentando manter do meu lado pessoas incriveis, pessoas extraordinarias, pessoas que ME fazem feliz... pessoas que fazem de uma simples noite um momento inesquecivel...
Obrigada mais uma vez.

PS.: quero acordar nos seus braços todos os dias.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Lua de Mel

Eu via tudo muito escuro
com pouca luz
tons de cinza
tons pastéis, nublados, frios

Eu via pouco
Eu não via quase nada
como se alguém tivesse
queimado a minha lâmpada,
tampado o nascer do Sol,
pulado para a noite
e transformado meu mundo em
PRETO E BRANCO.

Mas para acalmar meus pesadelos:
veio você.

Pra colorir minha vida:
veio você.

Pra acender a luz do meu coração...
pra colorir o meu sorriso
E FAZER NASCER O DIA EM TODAS AS NOITES.

Você surgiu quando eu só via minhas pegadas
e esqueci de olhar pra frente.
Você surgiu pa animar minha depressão,
alegrar minhas lágrimas,
colorir o preto e branco.

Você coloriu meu dia,
minha tarde,
minha segunda-feira.

Você coloriu - com seus tantos lápis de cor -
a mim...

Com final feliz....

Usei tua fraqueza para acalentar meus desejos
Usei teu não, teu chão, teu beijo
usei tudo aquilo que deveria ser desprezado
por mim, por você, pela vida

Usei teu falso amor pra consolar minhas perdas
usei teus passos em falso pra completar meu caminho
para traçar meu destino
pra esquecer do meu proprio fracasso

Usei tuas poucas palavras
tuas mentiras, tuas falas, teus sons,
usei tuas promessas, usei tudo que não era meu
não era nosso, não era de ninguém
usei pra me libertar, me preencher, me renascer

usei teu calor, tua dor, teu pranto
pra fazer da tua pele o meu manto
pra fazer de mim o teu santo
pra esquecer que o amor não existia...

usei teu sexo por prazer
teus beijos pra me aquecer
teu te amo pra viver
pra esquecer que o teu amor não existia...

Mas não perdi permissão.
Não pedi o passe de entrada
não bati na porta do seu coração
das suas feridas, dos seus ressentimentos
usei tudo achando que você não ligaria
usei tudo pra me reerguer diante de ti
porque só com suas cicatrizes consegueria apagar o meu vazio
por saber que em você, existia um maior ainda....


desculpa, esqueci de te avisar que te usei
te usei pra ser feliz,
e deu certo.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Pra você, que tem um sorriso maravilhoso.....

Fiquei presa no seu sorriso,
de inocência, de menina,
de quem acha que o mal não existe...

Fiquei presa na sua energia contagiante,
de quem com as palavras consegue ver o mundo com os olhos de uma criança...

Fiquei te olhando,
olhando seus cabelos,
desprovidos de cachos,
mas com um brilho eterno,
um brilho de quem sabe viver.

Fiquei te olhando,
até achar uma fraqueza,
e vi semelhanças:
tão forte por fora,
sensível por dentro...
tentando esconder que se entrega com um "te amo",
uma declaração sem princípios...
tentando esconder que o amor é sua motivação,
que o beijo é sua inspiração...

Parabéns, eu admiro sua capa,
seu interior, seu tudo.
Parabéns, pelos seus 18 anos que você manteve intacto seu escudo,
seu sorriso,
seu você... diferente de todo mundo,
mais feliz que todo mundo,
mais intensa,
mais tudo....


Feliz aniversário, Kaka.

terça-feira, 4 de maio de 2010

10 é um bom número....

você bateu seus grandes cilios adormecidos de tanta paixão
queria fechá-los, mas sabia que se o fizesse não veria meu sorriso
permaneceu observando os detalhes do meu rosto
que pra voce era perfeito com cada minha imperfeição
você esqueceu da hora, não quis mais embora
enxergou alem de mim, por dentro de mim, do que eu nao sou
me matou de amor, de prazer, de saudade
pelo milésimo que esteve olhando pro outro lado...
voce nao saiu daqui, de mim, do meu lado
e deitou seu peito pra acariciar meus cabelos
elogiou meu penteado, segurou meu rosto
apertou-me com a maior força e desejo que poderia...
voce intensificou meus sentimentos já antes intensificados
voce duplicou minhas vontades de dizer que não tem fim
você transformou um fim em era uma vez...
e quem sabe num breve - ou não - conto de fadas...
voce me machucou maravilhosamente, invadiu meus sentidos
não bateu na porta e fez o que eu queria
se entregou, sem medo nem perdão......
você respondeu aos meus anseios, e hoje eu posso dizer
ouvir a tua voz é como acalentar minha solidão
como ninar a minha tristeza, colorir o meu mundo
ouvir tua voz, teu tom, tuas palavras,
negadas por serem bonitas e de poeta
nós somos dois
dois unidos pelas palavras
em um mundo onde não existem definições perfeitas
não existe definição perfeita pra isso
mas fique comigo, pelo tempo que for necessario
pelo tempo que eu preciso pra estabelecer o inimáginavel
fique comigo até que eu ache a palavra perfeita
pra isso.
pra você.
pra nós....

domingo, 2 de maio de 2010

Pagando as contas.

paguei minhas dividas, e esqueci de te dizer que tua vida me devia uma coisa
esqueci de dizer que tua incapacidade de viver me devia uma divida
esqueci de te dizer.

nao consigo me contentar com a sua indiferença
seus dedos engordurados de desinteresse
suas mãos secas de imaturidade
sua vida na inercia de uma desilusão

as arvores rezam por você como uma devoção espiritual
a natureza preza pela sua beleza, mas voce nao preza por nada.
a vida te dá tudo, e voce nega a sua exatidão, nega seu talento
você nega tudo, a todos, a mim, a você mesmo...

descrever sua inutilidade é o fazer do meu dia
é meu contentamento diante do seu descontar
é a minha fisica diante da sua ausencia de pensamento
é a inexperiencia diante dos seus poucos feitos
descrever sua inutilidade é facil como dois mais dois
é facil como resolver uma questão de gramática
(para mim)
é facil como respirar.

vamos ver se o outro enxerga minha bebedeira
se os meros 7 chopps fazem de mim diferente
se a vida cala meus feitos inuteis
tornando-me inutil ao seu nivel de inutilidade....
igualando-me a sua idiotice genetica,cronica,contagiosa
suas dividas....

eu paguei minhas dividas, mas esqueci de te dizer que voce tinha uma comigo
você devia ter me amado
e se o tivesse feito, eu te prezaria das minhas dolorosas e verdadeiras palavras.
quem mandou ser vitima da minha sinceridade?
quem mandou ser vitima do meu amor?


eu falei que era contagioso....

Pelas minhas noites

A lua olhou pra mim
por um momento ela me disse que a vida é assim
a vida é amor
a vida é ilusão
a vida é muito mais do que uma mera paixão...

eu a vi tão cheia, tão crescente, tão nova
eu a vi inovando meus prazeres e meus devaneios
a vi me olhando, me admirando
me elogiando com suas palavras de fantasias

eu vi a lua admirando minha admiração
eu vi a lua agradecendo meus perdões e compaixões
vi a lua esquecendo dos seus medos
uivando por seus desejos
declarando sua devoção...

eu vi a lua, tão bela, a lua.
eu a vi na noite da minha solidão
no luar da minha escuridão
no despertar da minha emoção
eu vi a lua diante da minha inspiração
e por ela eu escrevo
e por ela eu vivo
e por ela eu vou morrer


hoje, amanha, e enquanto sua luz reinar no meu luar...

sábado, 1 de maio de 2010

Sem medo nem perdão...

Encoste então tua cabeça
tuas mãos de poeta
teus labios de sedutor

Venha pro meu lado
suas mãos nas minhas
seu peito no meu peito
seu calor nos meus ossos
sua pele na minha pele

vire um copo comigo
deixa o copo virar no teu corpo
divida comigo sua embriaguez
porque a minha de amor é o que não falta
só sinta minha taquicardia
minha emoção
meu você

divida o travesseiro
em dois
pra nós dois
ou deixe-o assim
pra que sua cabeça fique junto a minha
nossos cabelos fiquem entrelaçados
como nossas mãos...
em forma de amor
em forma de paixão

se entrega.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

um 'era uma vez' sem 'felizes para sempre'

Por que o tom de voz?
De quem não quer nada mas quer tudo comigo?
Por que o tom de voz de perdedor tentando fazer de mim sua unica vitória?
Por que o tom de voz achando que a minha solidão é fruto do seu vazio em mim?
A doçura dos seus lábios me fazem crer na incerteza do amanhã, a doçura do seus labios parecem cortar a minha reputação...
E que amanhã você mantém?
Não enxergo mais cristais no seus olhos capazes de iluminar minhas vontades...
Não vejo sinceridade no azul mais profundo, nem na lisura do seus cabelos ilusórios...
Você disse que tudo ficaria bem, mas deveria ser tudo da minha imaginação.
Você destruiu minha imaginação.
Gritou com o meu eu lirico e apagou a luz da minha criatividade.
Esqueceu que o hoje é muito breve e que o amanhã tá muito longe pra ser calculado...
Você - metaforicamente falando -, me afogou.
Em lágrimas... em armadilhas... em amor.
Em um amor eterno que chegou ao fim.
Um amor tão eterno que seu ponto final foi como ele...
O problema disso tudo é que falta verdade, ou na lata (sem eufemismos): é mentira.
Você, as lágrimas, o amor...
Nada existiu.
Mas agora, vejo a minha infelicidade, por saber que não tenho nossa história pra contar.
Que não tenho a sua ausencia pra sentir, seus labios pra olhar, seu rosto pra beijar...
que não tenho sua mentira pra chorar, seu carater pra lamentar ou nosso amor pra invejar...


que não tenho nosso conto de fadas paradoxal pra mostrar ao mundo o que NÃO é o amor.

Seu Pires Inspira

Tudo muito novo, muito bonito
Muito branco, muito azul, muito claro...
esquece tudo
e vem comigo...

Esquece comigo
E vem com tudo...
e bebe umas...
brindando a vida
brindando o amor

Tá tudo muito na cara
tá tudo muito no seu sorriso
o branco do sorriso

dá pra sentir?

quinta-feira, 29 de abril de 2010

imProviso

Palavras postas por pessoas (não) pertinentes. Podia poemar pondo palavras proferidas por p., mas não to afim.

Não faz sentido, gente inútil, pra que dizer o que não quero ouvir? Pânico, dramaticidade. E novamente o Rei do Mundo fala, o dono da razão, o dono do seu chão (mas só seu).

Polêmica de minha vida, pra que o blablabla? A irracionalidade, o que eu não quero escutar? Pra que o teu sermão? Por que palavras sem significado, psicografadas por pessoas inexistentes, almas passadas, sem cor nem escrita, passado? Por que palavras paradoxais interminaveis e sentidos indeterminados?

Por que não fazê-lo?

Por que não emocionar? Agir, amar? Por que não fazer das palavras seu dia, seu ar?

Por que não proferi-las em prol da liberdade e não da inutilidade do seu ser?

Por que a mania de ser Rei do Mundo, do português, do NADA, quando a minha passionalidade é mais bonita do que seu vasto conhecimento? Guarde-o pra você.

Por pena, posso pegar prazer pra por perante pares, pai, padres, podres. Por pena......
eu cansei... mais palavras com p.
Mais insanidade,insanidade...
mais plurais, mais...
mais pestes, pragas, poréns.

Não quero mais suas palavras quando não forem de poetas. Não quero mais palavras quando não forem Por amor.

Pronto,
obrigada pelo seu silêncio.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Você pediu, tá escrito.

Com cores de mar,
cores cheirando à natureza,
com um sorriso de criança,
um ar de inocência...
desaparecendo com o vento nos cabelos dela...
a vergonha por trás do seu olhar de mar, seu olhar de amar, seu olhar de natureza...
sua indiferença diferente,
sua insegurança segura,
sua passionalidade racional,
o maior paradoxo...

Tão forte por dentro, atitudes definidas, objetivos traçados, minha matriz...
Através desse meu espelho, consigo enxergar a profundidade do meu eu, quer dizer, a profundidade dela...
Consigo enxergar a sua fraqueza, a sua dor, a minha dor,
o olhar de criança jorrando lágrimas de desespero, desilusão...
uma racionalidade depressiva, tentando ser exalada pelos movimentos do seu corpo,
exibindo suas curvas pra quem quisesse ver,
e apreciar.

De olhos fechados,
ela se transportou...
mas adorava fazer isso...
adorava a espontaneidade,
o amor, o abismo, os obstáculos, a dificuldade...
adorava ser quem não era,
adorava ser adorada, e era,
todos os dias.
(mas disso ela não sabia)

Permitia que a machucassem, e pisassem em suas feridas...
não ouviu o que disseram: "não espere muito dos outros"...
jogava os cabelos perfumados, com cheiro de ambição,
mas sem certezas e definições...
Ela sabia o que queria,
mas não sabia por onde começar...
E eu já ouvi essa historia antes.

Inteligente, culta na sua simplicidade,
mas olhos de esmeralda.
Muito grande, mas poucos podiam enxergar essa grandeza.
Muito maior que grande...
tantos pensamentos no papel, tantos fora dele...
tanto pra viver...
às tres da manhã só sabia de sons e movimentos,
de trilhas sonoras de todas as vidas que teve.

Só sabia viver, como um ser humano normal,
como qualquer um, como eu.
Sabia se expressar, mas tinha medo de errar, tinha medo do fracasso, da inferioridade, da decepção.
Tinha tudo e nada ao mesmo tempo.
Era marionete do amor, vítima da paixão e súdita da felicidade.
Se feria, mas levantava com meus sorrisos...
tinha mais sorrisos...
sintonia comigo, com a vida, consigo mesma.
mas se confundia com o inexistente, pois queria existir mais do que si mesma.
Achou que era pouco, mas era mais do que muito: era eterna.

Ela se eternizou nos meus pensamentos em 1 dia,
se eternizou no meu coração em 1 mês,
se eternizou na minha vida em 1 segundo...
no meu espirito, na minha energia...
mas não sei mais de quem eu falo...
ela tem esmeraldas no rosto, eu sou priscila, malu, carol....
mas tenho seu olhar no meu rosto.
Meu espelho, uma sintonia inacreditável...

Tudo isso nao passa de uma mera descrição numa terça feira,
mas para defini-la, preciso de uma vida inteira e,
se isso for suficiente, eu explico como foi uma amizade eterna,
mas isso só no dia da minha morte,
ou da dela,
também já não sei mais...

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Amor para tudo e todos...

Não se desespere
é muito amor
amor muito, alem dessa vida
só encoste em mim...

consegue sentir o coração?
consegue sentir meus ossos nos teus ossos?
minha voz no teu ouvido?
meu beijo no teu pescoço?

não fale...
cala a tua boca e escute o silêncio comigo.
ele não é lindo? o som dele, não é lindo?
eu e você, e mais nada...

eu quero nosso vinho,
quero nossa eternidade,
quero o clichê,
e não sentir saudade...

escuta comigo,
escuta a minha surdez,
repara na minha cegueira
eu perdi meus sentidos
seu amor corroeu meus sentidos
minha vida
meu eu...
me enxerga alem do que você pode ver~
porque eu já não enxergo mais
de tanto amor.

Urca





Pernas, pontes, cabelos,
uma modelo sorrindo,
mas o Rio é mais bonito...
estou em outra dimensão.

Fuja comigo então,
estou em outra dimensão...

Muitas cores, pombos, cores,
barulhos, garrafas pet num mar escuro
tudo muito perto de voar,
perto do aeroporto,
deixe-me voar então,
pra perto de você...
em outra dimensão.

desejos, verdes, desejos verdes...
procuro uma nuvem
mas só vejo sorrisos.
procuro branco
mas estou em outra dimensão,
a minha dor é colorida...

balanços, cimentos,
poesia cinematográfica...
uma outra dimensão,
é a minha maravilhosa cidade,
tirando o clichê de dentro de mim...

Ele me abraçando,
abraçando o Rio,
grade envolvendo sua paixão,
eu estou em outra dimensão,
então voe comigo,
pra outra dimensão...

sábado, 24 de abril de 2010

Faz sentido pra mim....

Acordei. Mais um dia normal, sabendo que depois começaria com mais um texto normal também...
A claridade batia nos meus olhos como raios solares no rosto sem o protetor. A persiana fechada não era o suficiente pra combater os raios uv e, por isso, me sentia numa praia no Sol de 12h, entretanto, a temperatura do ar condicionado marcava 17ºC, o que significava estar no inverno de Orlando, ou quase isso... Levantei com a minha disposição de todos os dias - incrivelmente boa, juro - apesar de ter dormido só 4 horas e meia, pois o Sol nasceu quando fechei os olhos. A noite anterior tinha sido boa, boa não, MUITO boa, e meus pés provavam isso: eles ainda doíam por terem ficado mais de 5h em cima de um salto gigante vermelho, tentando se equilibrar no chão perfeitamente elaborado (not) no Jockey...
Anyway... acordei e vi que não tinha muito tempo pra começar direito meu novo dia, pulei com o pé direito do colchonete improvisado, peguei um toddynho na cozinha e tomei meu remedio de cada dia. Voltei pro quarto do computador (que tinha colchões em vez de cadeiras!), senti novamente o carpete quente e gostoso, mesmo ainda a 17ºC de Orlando... o Sol batia nos olhos dela, mas estavam cobertos por um tapa-olho, tirei-o, e saiu da minha boca o comentário que sai sempre no dia seguinte de todas as noites que nós passamos juntas: ontem foi foda, né?. Mais uma festa boa, mais momentos bons, mais "tik tok's", mais sorrisos, danças, mais tudo, mais um dia de amizade com alguém que surgiu tão.... de repente.
Passei as fotos pro computador, entrei no orkut, facebook, twitter, msn.... todos com "meu santo é forte pra caralho", e eu nunca vi uma coisa dessas, mas pelo visto São Jorge em seu dia provou gostar MUITO de mim, porque depois da meia noite (iniciando sua comemoração no feriado), decretou: hoje a noite é dela..... ninguém vai atrapalhar! VALEU AMIGOOOOOOOOOOOOOOOO.
Tomei banho correndo (mas antes briguei com a minha irmã, como já é clichê matinal...... ou diário). Botei uma roupa, ela reclamou, falou que eu tava descombinando. Troquei, fiquei mais estilosinha com uma regatinha preta colada, um short jeans e um colete de renda branco, acompanhado do meu rayban de borda branca, e meu brinco de perola, ok, eu tava pronta pra mais um dia. Entramos no carro, com destino à Copacabana. Nesse trajeto, lá se foi a primeira briga... nem lembro porque, mas foi uma longa e chata briga, envolvendo todos da minha familia e pela primeirissima vez na minha vida inteira: todos estavam contra mim, e eu só lembro disso... eu deveria realmente estar errada, o que não acontece muito - modéstia parte. Sempre tive mania de ser justa com tudo e com todos, e dessa vez provavelmente não estava sendo... vou tentar não errar de novo.
Pegamos a vovó, batom borrado, não me enxergava, mas tudo bem, eu gosto dela mesmo assim (:
Ah,vimos também meu anjinho de ébano, Daniel, coisa mais linda, cada dia mais fofinho e parecido com a mãe...
Destino agora era Niterói, pegar a ponte. O Sol parecia não muito feliz como de manhã, ele desaparecia aos poucos em meio a nuvens ralas. Mas sentada no banco perto da mala, ainda sentia os raios ultravioletas ultrapassando o vidro... Ouvia "The Hill" do filme "Once", mas sentia que não seria APENAS UMA VEZ que eu escutaria essa música.... foram umas três seguidas, só observando as catástrofes da cidade do outro lado da Baía de Guanabara... só terra e mais terra, barrancos destruidos, isso porque só passei por Icaraí, o caminho da Niemeyes e Charitas... chegando em Charitas, depois de passar por casas quase cinematográficas com vistas esplendorosas ameaçadas pela chuva, chegamos ao Olympus, pela 2ª vez, e não pior nem melhor, foi basicamente igual. Harumaki de camarão com catupiry e hortelã de entrada - com shoyo, só pra ser diferente de todo mundo. Provei as entradas de quase todo mundo.... carpaccio de carne, escargot, casquinha de siri... ou pelo menos provei com os olhos, senti que tudo estava muito bom, mas eu não dispensava meu pãozinho com manteiga e sal.
Chegou meu prato, que parecia infantil: troquei a batata rostie por batata frita, e pedi o molho de mostarda dijon à parte. Então vieram dois bifes de filet mignon com batata frita, parecia que havia voltado pros meus 10 anos, mas vocês tem que concordar comigo: não existe coisa melhor.... Raspei o prato.
Levantei antes da mesa, fui lá pra fora tirar umas fotos, e tive um momento de reflexão... o pescador sentado no banco olhando o mar, a cada 20 segundos ele levantava e andava pela beira da água, e depois voltava pro seu canto. Que reflexão será que ELE tinha? Por que estava ali? De bermuda branca, sem camisa, barba mal feita e olhar de tristeza, olhou pra mim e sorriu com um ar de pedofilia e, por medo, não consegui retratar o momento, esqueci de apertar o botão. Tirei mais fotos da baía, da areia, das favelas ainda ameaçadas de desabamento, da minha mente em desabamento.... tantas noites mal dormidas, meus pensamentos estavam trocados... parecia que eu estava longe, muito longe dali, talvez em........
algum lugar.
Voltei de Niterói, mas sem ouvir o Ipod. Fiquei com a Nikon na mão esperando alguma paisagem surpreendente ou alguma situação inesperada pra ser clicada, mas não encontrei... minha desilusão apareceu e meu dia começou a ficar mais escuro, eu não tinha mais os raios solares, o protetor, o inverno de Orlando, e nem minha disposição de todos os dias. Foi tudo indo embora... cheguei em casa, morri, fiquei no computador até as 22h tentando me animar, tirar minha dor do corpo, da cabeça... tentei fazer tudo pra minha sexta-feira a noite não o reflexo de uma depressão - e não foi.
Tive a melhor noite dormida da semana, haha. Dormi por 15 horas seguidas, isso existe?
E acho que tirei a conclusão de tudo isso: uma vida perfeita tá longe de ser nights, garotos, bebidas. Uma vida perfeita é a aceitação da historia que você cria, tentando a cada dia aperfeiçoar os seus momentos, SEM torná-los exemplos de perfeição, sacou?
Eu vou voltar a viajar na minha mente, talvez eu encontre a explicação de porque um ponto final pode ser tão bom na vida de alguém...... é, tudo leva a um novo começo.



Desculpem os meus erros de português (se houver), nunca leio depois de escrever. E Ah! Se não fizer o menor sentido isso tudo pra vocês, caguei. Pra mim faz.