"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vêm e vão

Tem pessoas que passam
e só passam:
você sente um vento quente no rosto
escuta um pagode no ipod
ou vai ao cinema numa terça-feira
e faz juras de amor
amizade
maldade
e tem o fim,
sempre doloroso,
tem a decepção,
sempre dolorosa.

Tem pessoas que passam
e só ficam:
apenas ficam.
você sente um vento frio no rosto
congela seus sentimentos
congela o tempo
faz juras de amor
faz promessas,
e não quebra,
e tem o fim,
um fim doce
culpa do acaso, do tempo,
culpa da tua preguiça.

Tem pessoas que passam
e ficam - literalmente.
São pessoas que olham e falam:
acorda menino!
Eu to aqui,
eu vim pra ficar.
E ficam.

Eu conheci algumas assim
mas conto na palma da minha mão,
onde as linhas das suas vidas correm no meu sangue,
essas daí são parte de mim,
estão cravadas no meu coração.
E as juras que faço pra elas são de uma infinita paixão.
E essas sim:
não tem fim.

4 comentários:

Daniella Fleury disse...

muito nosso papo de hoje, né?
muito certo tudo que você disse.. e muito bom vc reconhecer a importancia do essencial, do especial e do verdadeiro.
Você é linda.

humanizarte disse...

"culpa do acaso, culpa do tempo"

Karina disse...

AMEIIIIIIIIIIIIIIII
adoro suas poesias!!

janiny disse...

Arrazou como sempreee!!
voce é TUDOOOOOOOO
amoo muuuito isso aqui
bjuus