"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





quinta-feira, 3 de junho de 2010

Minha cidade

Os pássaros beijam o infinito cinza, observando meus cílios piscantes - almejando ver minha cidade sob o Sol da primavera.
Ainda assim, as ondas batem, soltando sua espuma branca por entre os diversos verdes da eternidade das águas.
Nando Reis no meu ouvido me lembra o ontem,
o que não volta mais,
o que eu quero trancar no meu passado...
E a cidade maravilhosa canta apagada, cheirando a chuva e solidão...
Ela sente o vento dos coqueiros, a areia úmida da tempestade da madrugada e implora - mesmo - pra não se ver debaixo d'água novamente.
(Depois daquela semana, ela sempre implorará por Sol a São Pedro, por medo de ver suas crias morrerem em vão...)
Eu vejo os gringos perdidos, lamentando-se por vir ao Brasil em dias de 18 graus, e mais:
Sem o RIO 40º GRAUS, sem SOL.
Lamento por eles, por não morarem aqui.
Estou em paz.
Estou na cidade mais solitária, mais visitada, mais admirada, mais paradoxal. Estou em paz.
E ela me inspira,
e ela me renova,
ela grita por palavras, por amor, por abraços, por carinho, por poetas.
Hoje, minha boa ação por ela foi registrar bonitas palavras em sua homenagem.
E você?
O que faria pela sua cidade?
Ao menos, pare e tenta senti-la.
Ao menos, pare.
É uma dádiva,
e eu estou em paz.

4 comentários:

Karina disse...

que lindoooooo.. a cidade tá triste mesmo! que bom q voce ta em paz! também tô! hehehe

humanizarte disse...

minha cidade precisa de mais sonhadores...

janiny disse...

sua cidade é Tudooooo!
amo tudo na sua cidadee..
e um dia vou conhecer tudoo que tem por ai! ta chegandoo esse diiaa
beeijos da fã

Bruna disse...

maravilhoso!!!!!!!!!!!