"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





quarta-feira, 3 de novembro de 2010

o paradoxo que eu não esqueci

teu silencio de repente calou meu grito
e teus passos atravessaram meus sorrisos
totalmente sem sentido
conturbando meus pensamentos já conturbados

e tua indiferença transpareceu meu desespero
tuas mentiras consolidaram minhas lágrimas
teu pezar justificou minha ida
embora
sem volta

e o tempo apagou nossas memorias
as memorias que se apagaram da minha mente
alguma coisa que foi apagada da minha mente
que eu nao me lembro mais

com o tempo, foi você tambem
com muitas razões e poucos porques
com poucas explicações e muitos motivos
cristalizando no nosso livro o paradoxo eterno

eu te odeio.

3 comentários:

@larid_ disse...

Que lindo!!! Parabéns =)

janiny disse...

huuuuum,muito muito bom
não esqueci do blog nuncaaa
voce demorou,mas quando posta arrasa demais!
beeijos melhor escritora
sua fã numero 1 esta sempre poor aqui

Fabiana Paes disse...

linnnnnnnndo!