"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





sábado, 26 de março de 2011

a última vez que falo de nós

É como se meu pensamento vagasse pra longe daqui, onde os desamores se encontram e as despedidas se veneram, onde os beijos dos apaixonados são o último desejo antes do adeus. É como se minha desconcentração seguisse a inércia da tua indiferença, glorificando minha solidão e justificando meu amor sem volta.
Nossa maldição não é boa nem ruim, é eterna, e capaz de prender meu coração no ontem. Nossa maldição me faz perder as palavras ideais e esquecer o caminho das minhas poesias. Nossa maldição acabou com a intensidade das minhas certezas e tornou indefesa minha vontade louca de te ter. Nossa maldição cristalizou meu futuro, e agora meu passo invade esse segundo, consumindo meu coração e amaldiçoando meus sentimentos. Você não sai de mim, mas eu também não me esforço pra isso.

3 comentários:

Michele P. disse...

É a hora em que o amor precisa morrer e não temos força para matá-lo!

Texto envolvente. Gostei.

Bruna disse...

lindo, gostei muito amiga !

Daniella Fleury disse...

me identifiquei demais. principalmente com a última frase. Adorei!