"Sou meio como um mosquito num campo de nudismo; sei o que quero fazer, mas não sei por onde começar." - Stephen Bayne





quarta-feira, 7 de abril de 2010

As esperanças estão se afogando...

Escutei um pingo de chuva, e de repente o mundo estava acabando. Eu sei que parece clichê nesse tempo 'maravilhoso', escrever sobre a chuva, mas o Rio de Janeiro não fala de outra coisa. O Rio de Janeiro agora respira chuva, vive chuva, conversa com a chuva, infelizmente ela é a sua única companhia. E agora não tem lado bom, o cheiro de chuva não supera as centenas, milhares de desabrigados. A suspensão das aulas nas universidades não supera as inúmeras mortes por desabamentos... Nada compensa, a nossa cidade maravilhosa ficou submersa pelo medo, pelas lágrimas, pela tristeza.

Agora não dá pra tomar banho de chuva e sentir sua alma limpa, não dá pra ir na rua e comemorar os desertos não mais desertos, pois se enxeram de água. Não, São Pedro não entendeu que era pra parar, e agora os cariocas duvidam da competência da capital. O Rio de Janeiro virou literalmente um Rio, mas de abril. E não são as águas de março, março ficou pra trás... os tais poetas mudarão suas letras, porque Abril superou todas as expectativas.

E quem me dera hoje fosse dia 1º, tudo isso seria mentira, e amanhã abriria um Sol incrivelmente lindo.

E vocês ainda estavam reclamando do calor? Acho que eu prefiro suar do que ver o sofrimento de tanta gente... Hoje vi na televisão um homem chorando, porque conseguiu sair a tempo de sua casa, mas não conseguiu salvar seus dois filhos pequenos. E aí? Enterrar os filhos não deve ser nada fácil, talvez não exista coisa pior. E a imprensa - fria, por sinal - põe o microfone na boca tremida dos desamparados, em vez de dar um alimento, uma roupa, um abraço... Eles só querem um consolo, um "vai ficar tudo bem", pra ainda terem um pingo de esperança...

Paes mandou fechar tudo, Paes agiu. Mas do que adianta fechar tudo? Na final da Copa de 2014 nós vamos fechar o maracanã também? E se cair um dilúvio? Isso se o mundo não acabar mesmo em 2012... As coisas tão indo de mal a pior, e a futura sede das Olimpiadas de 2016 vai desaparecer no mapa mundi. É isso ai, time de volei dormindo no Maracanazinho, surfistas nadando nas águas sujas, até wakeboard foi visto hoje. E vocês ainda acham que a cidade tem infraestrutura?

Acho que meu Cristo de braços abertos pra Guanabara esqueceu de fazer parar de chover, esqueceu que a sua cidade maravilhosa só fica bonita com surfistas nas ondas da praia, e que essas não sejam de 3,5m., porque ai não dá muito certo.... espero que não haja tsunami nenhuma, que a tempestade pare logo. E que reine o mais rapido possivel a esperança no coração de cada carioca,

o mundo não tá perdido. Mas por favor, faça a frase "depois de uma tempestade, sempre vem um céu azul" prevalecer o mais cedo que puder, eu não aguento mais acordar e ver a vida tão cinzenta.

3 comentários:

Daniella disse...

tá ficando chato dizer que os textos se superam cada vez mais, hahahahha... eu amei esse! não aguento mais a chuva e é realmente mt triste tudo isso que tá acontecendo!

João Arthur disse...

É até estranho ficar feliz de ler um texto desse... Mas até agora ninguém fez um comentário melhor sobre esse desastre do que esse que eu acabei de ler. Parabéns.

Lucas von Seehausen disse...

A única coisa que me deixa feliz lendo esse texto é notar quão bem você escreve, mocinha.
Já te falei o que penso dele, né. hahaha
Beijo e parabéns!